Game Music

GameMusic: As músicas de jogos favoritas da equipe GameBlast - Parte 2

Todos nós temos nossas preferências musicais, ainda mais quando se trata de trilhas sonoras de jogos. Muitos preferem aquelas que lhes empol... (por João Pedro Meireles em 17/11/2012, via Xbox Blast)

Todos nós temos nossas preferências musicais, ainda mais quando se trata de trilhas sonoras de jogos. Muitos preferem aquelas que lhes empolgam, enquanto outros preferem aquelas trilhas capazes de emocionar. A nossa equipe traz mais uma vez algumas dessas preferências na segunda parte desse especial. Se você estiver interessado em, além de saber as favoritas da equipe, ouvir músicas marcantes, continue lendo e, é claro, ligue a caixa de som!

Last Day Theme (The Legend of Zelda: Majora's Mask)

Falar de música de games e não citar Zelda é quase um disparate e eu não poderia deixar de contribuir com essa lista falando da melhor música do melhor game da série: Last Day Theme ou, para os práticos, "Música do Último Dia" de The Legend of Zelda: Majora's Mask. A música passa quase que despercebida durante o gameplay, mas vale a pena prestar uma atenção maior nela, tanto que na primeira vez que joguei Majora lá na minha querida infância, eu fiquei apavorado com essa canção mais do que com o jogo em si e quase 5 anos depois que eu consegui ouvi-la com bons ouvidos.


Chegar ao último dia por algum descuido ou mesmo para completar alguma quest e se deparar com aquela canção de fundo um tanto quanto dramática pode aumentar (ou não) o seu ânimo de querer ver a lua consumindo tudo. Pelo menos foi essa sensação que a música passou para mim, a sensação de querer ver o fim imediato o quanto antes. E com certeza é uma das OST que eu mais aprecio. Ao mesmo tempo que ela passa uma sensação de "tenho pressa pra salvar tudo!" ela também pode denotar "já está tudo perdido, vou deixar acontecer", esse misto de sentimentos em uma canção que quase passa despercebida no game que me deixou encantado. Nada como um pouco de apocalipse, boa música e uma lua brilhante para sentir-se leve e pronto pro mundo acabar!

Ramon de Oliveira Souza - Revisor do Xbox Blast

Title Theme (Legend of Mana)

Como um grande apreciador de game music, tenho dificuldade em escolher somente uma canção favorita. São tantos compositores e trilhas sonoras que merecem ser citadas que o jeito acaba sendo apelar para o lado emocional. Me recordo como se fosse hoje: fui visitar um amigo e ele me apresentou Legend of Mana, um RPG de PS. Fiquei mesmerizado pela belíssima direção de arte e jogabilidade inusitada, mas a trilha sonora foi o aspecto mais marcante de toda a experiência. Foi depois desse dia que passei a gostar de fato de músicas de jogos, tanto é que hoje chego a conferir várias trilhas sonoras sem ao menos jogar o game em questão.

 

Produzida por Yoko Shimomura, compositora conhecida principalmente pela música de Street Fighter II e Kingdom Hearts, a trilha de Legend of Mana tem mais de cinquenta canções que dão vida ao mundo do game. Dentre várias ótimas músicas como “Hometown Domina” e “Earth Painting”, escolhi “Legend of Mana - Title Theme” pelo fato dela ser bela, impactante e completa. O começo calmo cria um clima de tranquilidade, entretanto a melodia cresce e se torna intensa, representando os inúmeros confrontos. A conclusão suave fecha a canção com uma sensação de paz e descanso. É praticamente impossível não se apaixonar por essa canção quando ela toca na abertura do jogo.

Farley Santos - Redator do Nintendo Blast

Lost Broken Shards - (Xenogears)

"Sou um grande fã do trabalho de Nobuo Uematsu, principalmente pela trilha sonora de dois de meus jogos preferidos (Final Fantasy VI e IX) e, claro, pelo trabalho na franquia como um todo. Mas, Yasunori Mitsuda, também têm um lugar no meu coração (e na minha playlist). Compositor das músicas de Chrono Trigger, Mitsuda também é o responsável pela trilha de Xenogears.


Xenogears é, de fato, o jogo mais significativo para mim. Joguei-o em diversos momentos da minha vida. E cada "nova" aventura que se iniciava era,estranhamente, velha e nova ao mesmo tempo. Broken Shards é, para mim, uma canção que sintetiza o tom melancólico do jogo. Acompanhando os diálogos e acontecimentos desta história profunda, envolvente e, positivamente desesperadora. O som da "vida de um homem, e da vida de incontáveis outros homens". Poderia escrever horas sobre Xenogears, mas prefiro rememorar ao som desta canção"

Pedro Vicente - Redator do Xbox Blast

Frog's Theme (Chrono Trigger)

Eu tenho uma séria dificuldade em eleger "o(a) favorito(a)" em qualquer assunto, se, por acaso, eu alguma vez te responder com muita certeza, é porque é o meu favorito do momento. O ser humano é feito de mudança então eu abuso desse direito. Mas o tema do personagem Frog, de Chrono Trigger, composto pelo genial Yasunori Mitsuda, fez com que eu tivesse uma música favorita para todo o sempre.


O que torna o tema do sapo mais honrado dos games a música mais épica detodas é o heroísmo nela contida, e, principalmente, a impressão de que feitos lendários estão prestes a acontecer. Frog's Theme é o tema perfeito para o escudeiro que foi transformado em sapo e carrega junto com Crono, Marle e companhia a árdua tarefa de salvar o mundo da destruição iminente. Esta música é tão especial para mim que a escolhi para ser a música de fundo ao receber o diploma em minha colação de grau na faculdade. Foi simplesmente épico.

Filipe Salles – Redator do Xbox Blast

Ridley's Theme (Super Metroid)

Uma música para ser considerada marcante tem que fazer parte da nossa vida. Como muitos de vocês, tenho várias. Mas existe uma que é mais marcante do que todas. Pode parecer estranho mas vou explicar o porque. Uma música marcante na minha vida, e que se originou nos games é o tema do terrível Ridley, da série Metroid. A música, mesmo para quem não conhece seu contexto, consegue captar sua mensagem. A tensão! A primeira vez que a ouvi foi jogando Super Metroid (SNES). Logo no início do jogo, Samus precisa escapar rapidamente da Space Colony após o primeiro embate contra Ridley. Ao fundo, a música não deixa que você relaxe. Instala a tensão no ambiente para que você não perca seu foco, que naquele momento se resume a sobreviver.


No meu dia a dia, essa música involuntariamente vem à mente em momentos tensos, principalmente quando acompanhados daquela situação "em cima da hora". Essa "maldita" música já começou a tocar na minha cabeça quando precisei correr pra não chegar atrasado em determinado compromisso importante; aqueles minutos restantes quando você está fazendo uma prova de Cálculo I na faculdade e nem chegou na metade da prova; e até aquele momento em que uma matéria tem que entrar no Blast e você já está em cima da hora do prazo para entregar. Felizmente nunca precisei lutar com o Ridley. Mas, só de pensar nisso, a música já começa a ganhar tom de novo.

Alexandre Galvão - Newsposter do Gameblast

Beginning of the End (Breath of Fire)

E minha escolha vai para Breath of Fire, do SNES. Considerado um dos consoles com a maior quantidade de títulos do gênero RPG em sua época, o Super Nintendo trouxe vários games marcantes e que ficam em nossas memórias até hoje, seja pelas suas qualidades de gameplay, ou pelas excelentes trilhas sonoras de seus jogos. Trata-se de um autêntico RPG medieval, desenvolvido pela Capcom e Square Enix, que possui um clima de ação e história envolvente. Você viverá a história na pele de Ryu, um aventureiro pertencente ao clã dos Light Dragons, e que deverá proteger o seu reino e o mundo ao ataque dos Dark Dragons.


Diria que a trilha sonora do primeiro título desta série está epicamente consolidada. O tema Beginning of the End, que aparece como um prelúdio no game contando aspectos de seu enredo, mistura a sonoridade do cravo com o apoio de uma orquestra de cordas e sopros, em um clima que trás certo tipo de mistério e tristeza ao ambiente pelos últimos acontecimentos por que passa a cidade, agora em chamas. Mesmo reproduzido em som MIDI, a sensação de nostalgia alcança níveis elevados neste game, que merece ser jogado por todos os fãs do gênero.

Jaime Ninice - Diretor de revisão e redator do Nintendo Blast

Still Alive (Portal)

A minha relação com Still Alive é meio estranha. Eu não conhecia a ótima série Portal e não tinha nenhum jogo decente na Steam até então, é verdade. Tudo começou quando a Valve decidiu liberar o primeiro episódio da série de graça para seu projeto educacional nos Estados Unidos, chamado Learning With Portals, que queria ensinar Física com as logísticas dos portais. Posso dizer que, além de matéria de escola, me ensinaram a gostar disso e de jogos em primeira pessoa.


Fazer todas as câmaras de teste e descobrir que teria que fugir e matar um robô gigante que controlava uma fábrica com neurotoxinas e turrets apenas usando portais e uma simples fornalha foi genial! Mas a cereja do bolo (que, entre nós, é uma mentira) foi a canção que a bondosa robô me deu de recompensa. Still Alive: continuo viva. Uma ótima música composta por Jonathan Coulton, que ganhou todo o meu respeito depois disso. Foi a única música ouvida em todo o jogo (os rádios tocavam uma versão melódica de Still Alive) e ouví-la no fim cantada foi demais. A música é ótima e a letra é ótima. Eu acho que é um jogo e uma música obrigatória para todos os fãs de videogame e de uma boa história. Mais uma coisa: GlaDOS, não fique brava, mas eu gosto mais de Still Alive na voz do Jonathan Coulton. Desculpa.

Gabriel Toschi - Redator do Nintendo Blast e Revisor do Xbox Blast
E para você? Faltou alguma música em especial? Qual dessas é a sua favorita? Deixem seus comentários e não esqueçam, semana que vem tem a parte final desse especial.
Revisão: Gabriel Toschi
João Pedro Meireles é graduando em Engenharia de Computação na UFRGS. Viciado em jogos, em especial Mobas e RTS, passou boa parte da vida jogando-os e pesquisando sobre aqueles que não teve tempo de jogar, o que o levou a virar redator do Xbox Blast.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook