Vem aí

Prévia: Conheça Dying Light (XBO), a inusitada mistura entre zumbis e parkour!

Jogos com zumbis estão se tornando tão populares que a temática está até ficando gasta para muita gente. De Left 4 Dead a Dead Island... (por Gabriel Vlatkovic em 01/12/2013, via Xbox Blast)


Jogos com zumbis estão se tornando tão populares que a temática está até ficando gasta para muita gente. De Left 4 Dead a Dead Island, os jogos sempre tentam se diferenciar de alguma forma, mas mantendo os mortos-vivos que tanto amamos sob os holofotes. Dying Light, título produzido pela Techland é mais uma tentativa de misturar zumbis com algo que os mantenha interessante – neste caso, parkour -  e a desenvolvedora parece estar no caminho certo.


A tão sonhada luz do sol

Dying Light pode ser considerado um hibrido entre Fallout ou outros RPGs ocidentais de mundo aberto,  Left 4 Dead e... Mirror’s Edge. Isso mesmo! Contando com um grande e perigoso mundo aberto, o jogador deve encarar hordas de zumbis enquanto busca por suprimentos e realiza movimentos de parkour em primeira pessoa no melhor estilo de Faith. Os movimentos podem ser utilizados não apenas para fugir, mas também para atacar os mortos-vivos, já que eles podem ser utilizados como plataformas e golpeados das mais criativas formas possíveis. Como esperado, é possível derrotar os zumbis das formas mais variadas possíveis graças ao gigantesco arsenal que pode ser encontrado espalhado pelo mundo do
jogo.

A jogabilidade de Dying Light promete ser única!
Contudo, a maior inovação do título se encontra em seu sistema de transição de dia para noite, já que o momento do dia influencia diretamente a forma de se jogar. Durante o dia, o jogador deverá buscar suprimentos e realizar tarefas que dão andamento ao enredo do título. É claro que os cenários estarão infestados de zumbis e você terá que lutar muito para sobreviver, mas o desafio ainda nem começou!  Ao anoitecer as coisas se tornam muito mais complicadas: muito mais agressivos e em maior número, os zumbis atacarão sem piedade e farão com que você deseje o amanhecer com todas as suas forças, já que as missões durante o dia passarão a parecer um passeio no parque.

Tudo é mais complicado nas passagens noturnas
Neste contexto, não bastará apenas cumprir as missões desesperadamente para finalizar o jogo, já que é impossível fazê-lo sem um bom planejamento que permita que as noites sejam superadas. As missões a serem cumpridas devem ser conciliadas à obtenção de suprimentos e elaboração de rotas de fuga para os desesperadores momentos noturnos que estão por vir. Com isso, Dying Light tenta sair da zona de conforto dos jogos do gênero sem mudar a fórmula a ponto de desinteressar os aficionados por mortos-vivos, o que é muito bem-vindo em um contexto em que zumbis estão deixando de ser novidade.

Extermínio conjunto

Além do modo single-player, ainda será possível jogar Dying Light cooperativamente via internet, tornando o jogo mais divertido, mas menos assustador, já que boa parte do clima deve ir pelo ralo enquanto os jogadores morrem de rir dos zumbis em seu encalço. Mesmo assim, o modo vale para transformar a experiência em algo mais acessível e que dá um novo clima à aventura, que promete ser muito extensa.

O título contará com muitas formas diferentes de derrotar os mortos-vivos!

O amanhecer de uma nova geração

Dying Light está programado para ser lançado tanto para Xbox360 quanto para o novíssimo Xbox One, e se no já antigo console da Microsoft o jogo não faz feio e conta com gráficos lindíssimos e muito detalhados, na nova geração o jogo dá um show! É claro que por ser mais um jogo de transição, o título não se aproveite completamente das capacidades do novo console, mas mesmo assim os efeitos de luz estão muito bem trabalhados para que a experiência com as mecânicas de dia e noite sejam ainda mais imersivas. Contudo, o jogo deverá ser muito bom em qualquer plataforma, o que é excelente para aqueles que ainda não desejam se aventurar pelos caminhos de um novo console de mesa logo em seu lançamento.

"Ops! Hora de correr!"
O lançamento está previsto para algum momento do ano que vem  e, certamente, será uma boa pedida para fãs de jogos de terror, que também receberão o promissor The Evil Within. Com uma temática diferente, mecânicas vindas de outros títulos mas nunca utilizadas em jogos de zumbis e um visual de cair o queixo Dying Light é uma das maiores promessas para o ano que vem, e tenho certeza que até lá ainda ouviremos muito deste título
Dying Light – XBO/X360
Desenvolvimento: Techland
Gênero: Ação/Terror
Lançamento: 2014
Expectativa: 4/5

Revisão: Ramon Oliveira de Souza
Capa: Leandro Correia
Gabriel Vlatkovic é economista formado pela Unicamp. Trabalha como Analista de Finanças e joga videogames há quase vinte anos. Adora ouvir música, assistir a filmes e seriados e discutir a Timeline de Zelda. Quando não está trabalhando, está no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook