Jogamos

Análise: Desvende os mistérios de uma fábula noir em The Wolf Among Us: Faith (X360)

Era uma noite fria e solitária na cidade grande, como qualquer outra noite. Há meses não aparecia nenhum caso no escritório, para ser sinc... (por Rodrigo Bitencourt em 30/01/2014, via Xbox Blast)

Era uma noite fria e solitária na cidade grande, como qualquer outra noite. Há meses não aparecia nenhum caso no escritório, para ser sincero, não aparecia uma viva alma no lugar. Eu já estava me preparando para acender mais um cigarro e me servir outro drinque para aguentar a madrugada, foi quando escutei alguém bater na porta. Para a minha surpresa não havia ninguém, apenas um pequeno pacote deixado no chão. Fechei a porta, voltei para minha cadeira e ponderei um pouco antes de abrir aquele misterioso “presente”. The Wolf Among Us: Faith, era o que dizia no encarte daquele disco. Liguei meu Xbox 360 e resolvi investigar o jogo. A noite era uma criança e eu tinha todo o tempo do mundo para analisar se ele valia a pena ou não.


Um lobo em busca de redenção 

The Wolf Among Us é o mais novo jogo lançado pela Telltale Games, produtora responsável pelo grande sucesso de The Walking Dead: The Game. Inspirado e baseado no universo de Fábulas, prestigiado quadrinho criado por Bill Willingham e publicado pela Vertigo, o game é dividido em cinco capítulos e o primeiro deles se chama Faith.
Para os jogadores que não têm muita familiaridade com a HQ, a Telltale consegue em apenas uma tela de introdução explicar o panorama desse ambiente peculiar de seres fantásticos. É simples: as fábulas realmente existem e por um motivo em particular fugiram do seu mundo e vieram para a Terra, onde vivem em Nova Iorque na comunidade de Fabletown. E você está na pele do xerife Bigby, popularmente conhecido como Lobo Mau, das histórias da Chapeuzinho Vermelho e dos Três Porquinhos. O jogo ocorre antes das histórias em quadrinhos, funcionando como uma prequel, o que ajuda tanto quem conhece como quem não conhece a HQ, a não se sentir perdido nesse mundo novo.

Até onde vai a sua fé? 

O clima noir investigativo está presente no jogo desde o começo até o seu final como em qualquer boa história de detetive, tudo começa com uma linda garota, problemas e mortes misteriosas. Faith é o nome da garota que vira o mundo de Bigby, e de toda a comunidade de Fabletown, de cabeça para baixo.
As mesmas características que marcaram The Walking Dead: The Game estão presentes no jogo, como as escolhas de diálogos e os QTEs (Quick Time Events), que aliás, parecem funcionar muito bem também para The Wolf Among Us. Durante as conversas e interrogatórios, as suas escolhas realmente parecem fazer alguma diferença, influenciando no andamento da história e tornando tudo muito mais interessante. O suspense sempre se mantém à espreita e você sente que precisa ficar muito atento a todos os detalhes do jogo para não ser enganado ou perder alguma pista importante. Os avisos “Fulano vai lembrar disso” não deixam você esquecer que toda escolha tem uma consequência, e é bom você fazer as escolhas certas.

Os QTEs também estão muito bem elaborados e as cenas de luta ou maior movimento não apresentam tantos problemas com travamentos de telas, que são mais comuns durante os loadings entre os episódios do capítulo. Existe uma boa variação entre suspense e ação. Quando você começa a cansar de apenas correr atrás de pistas, sempre aparece alguém procurando problema. O bom é que Bigby está sempre preparado para o pior.

Na pele do lobo 

Sempre que posso, gosto de criar ou moldar a personalidade dos protagonistas nos jogos, e isso também é possível em The Wolf Among Us. Você pode encarnar um Bigby emburrado e mau humorado ou pode tornar o personagem mais compreensível e prestativo com os problemas da comunidade. Ou você pode ser um desgraçado violento mesmo, sem tempo para baboseiras e que gosta de ir direto ao ponto. Tudo através das suas escolhas nos diálogos e QTEs.

Com um elenco de personagens, digo fábulas, incrível, das mais simpáticas e fofas até as mais nojentas e repulsivas, o jogo vai fazer você se importar com esses seres fantásticos. Em um momento é até possível descobrir um pouco mais sobre o passado dessas criaturas, vasculhando antigos livros de história. É nesse ponto que o jogo mostra que foi muito bem adaptado pela Telltale, sendo fiel a todos os detalhes do universo criado por Bill Willingham nos quadrinhos.

Encerrando o caso 

The Wolf Among Us: Faith é apenas a primeira parte de um game que promete e muito. Com ótimos gráficos, jogabilidade e uma história de dar inveja a qualquer romance noir que valha a pena, o jogo é uma oportunidade para a Telltale Games mostrar que pode alcançar o mesmo sucesso que atingiu com The Walking Dead: The Game.

Sem perder o ritmo, a história vai manter você preso do começo ao fim, entre momentos de suspense investigativo e outros com mais ação e perseguições. Personagens carismáticos vão fazer você se importar com as escolhas que toma. E o melhor de tudo, elas realmente vão fazer diferença durante o desenvolvimento do jogo. E como se não fosse o bastante, esse primeiro episódio termina com um dos melhores cliffhangers que eu já vi, deixando muito seriado de televisão comendo poeira.

Prós 


  • História envolvente; 
  • Equilíbrio entre os momentos de suspense e ação; 
  • Personagens carismáticos; 
  • As escolhas realmente influenciam no desenvolvimento do jogo; 
  • Você é o xerife e o Lobo Mau ao mesmo tempo, não tem como ficar melhor que isso. 

Contras 


  • Os clássicos travamentos durante as telas de loading;  
  • Movimentação confusa em alguns ambientes.

The Wolf Among Us: Faith - Xbox 360 - Nota: 8.5 
Revisão: Jaime Ninice
Capa: Daniel Silva
Rodrigo Bitencourt atualmente joga videogame para escrever e escreve para jogar videogame. Entre um checkpoint ou outro você pode encontrá-lo no Facebook, Twitter e MyPST.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook