Top 10

Filmes que inspiraram Quantum Break (XBO/PC)

O formato fílmico do AAA da Remedy não é sem motivo, conheça os filmes que influenciaram a produção de Quantum Break.

A produtora finlandesa Remedy é conhecida no cenário de jogos eletrônicos por seus games que possuem mecânicas, estéticas e narrativas cinematográficas. Para o jogo de ficção científica de tiro em terceira pessoa Quantum Break (XBO/PC), a equipe de diretores, roteiristas e designers de narrativas se basearam em uma lista de filmes que serviram como influência para o título. Confira o Top 10 dos filmes que inspiraram Quantum Break.

De Volta para o Futuro, de Robert Zemeckis

A clássica trilogia dos anos de 1980 e início de 1990, De Volta para o Futuro, foi parte essencial na construção do roteiro de Quantum Break. O trio cinematográfico sobre viagem no tempo do diretor estadunidense Robert Zemeckis é composto por De Volta para o Futuro (Robert Zemeckis, 1985), De Volta para o Futuro: Parte II (Robert Zemeckis, 1989) e De Volta para o Futuro: Parte III (Robert Zemeckis, 1990). A obra embasou os principais temas e teorias sobre viagens temporais presentes no jogo.


O Exterminador do Futuro, de James Cameron

Outro clássico dos anos de 1980 que se estendeu até início dos anos 2000, a trilogia original de ficção científica protagonizada pelo ator austríaco Arnold Schwarzenegger, O Exterminador do Futuro, também teve um papel importante na construção do roteiro de Quantum Break. Tal qual o contemporâneo De Volta para o Futuro, a trilogia dirigida pelo canadense James Cameron e o estadunidense Jonathan Mostow, inspirou as bases para limitações e consequências da viagem no tempo em Quantum Break. O trio de filmes é integrado por O Exterminador do Futuro (James Cameron, 1984), O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (James Cameron, 1991) e O Exterminador do Futuro 3: A Rebelião das Máquinas (Jonathan Mostow, 2003).


A Origem, de Christopher Nolan

A superprodução do cineasta britânico Christopher Nolan, A Origem (Christopher Nolan, 2010), serviu como influência para toda a arte e os efeitos de lapsos temporais e ruptura do tempo de Quantum Break, bem como trabalhar a cientificidade da ficção de forma crível para o jogador. A obra fílmica embasou o visual do jogo, cores para os momentos de congelamento do tempo, bem como a arquitetura das construções impossíveis, fundamentada pelos trabalhos do artista gráfico holandês M.C. Escher.


Matrix, de Wachowski Brothers

O filme que inspirou o efeito bullet time da Remedy, a ficção científica Matrix (Wachowski Brothers, 1999), continua uma referência no desenvolvimento de jogos da produtora. Em Quantum Break, o longa-metragem que marcou uma nova era do cinema contemporâneo construiu as bases estéticas e de mecânicas para os poderes temporais de Jack Joyce, uma evolução do bullet time de Max Payne (Multi), de 2001.


Primer, de Shane Carruth

A complexidade de enredo do filme cult Primer (Shane Carruth, 2004) foi usado para fundamentar os conceitos de loops fechados e abertos em Quantum Break. A trama intrincada sobre física e matemática do longa-metragem fez a equipe de escritores de Quantum Break trabalhar a melhor maneira de expor o funcionamento de uma máquina do tempo de forma verossímil.


Interestelar, de Christopher Nolan

Os trabalhos do premiado cineasta Christopher Nolan foram presença marcante no processo criativo de Quantum Break. E mais um filme do britânico entra na lista de influências do AAA da Remedy, a ficção científica Interestelar (Christopher Nolan, 2014). A obra sobre um buraco de minhoca que permite a viagem entre o espaço-tempo foi a base da ideia da recriação do micro buraco negro da máquina do tempo de William Joyce, bem como as cenas no espaço serviram como referência de arte para os efeitos dos lapsos temporais de Quantum Break.


X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, de Bryan Singer

O longa-metragem que deu reinício a linha do tempo da franquia de filmes X-Men, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (Bryan Singer, 2014), foi uma forte influência para o drama entre a possibilidade de mudar o passado e alterar o futuro de Quantum Break, principal embate entre o protagonista Jack Joyce e o antagonista Paul Serene. O filme também foi um dos responsáveis por convencer a equipe do jogo a escalar o ator canadense Shawn Ashmore como protagonista de Quantum Break.


2001: Uma Odisseia no Espaço, de Stanley Kubrick

Adaptação do livro de ficção científica homônimo do escritor britânico Arthur C. Clarke, 2001: Uma Odisseia no Espaço (Stanley Kubrick, 1968) serviu como parâmetro na criação de um enredo profundo e com reviravoltas sobre o passado e o futuro. A obra do renomado diretor estadunidense Stanley Kubrick foi uma das fontes para o formato de montagem cinematográfica e a narrativa intrincada de Quantum Break.

Amnésia, de Christopher Nolan

Falando em narrativa cinematográfica, não tem como deixar de fora o filme Amnésia (Christopher Nolan, 2000). Um dos primeiros longa-metragens do cineasta britânico Christopher Nolan, a história contada em um formato fragmentado sobre um homem que sofre com perda de memória constante embasou os elementos e conceitos sobre a relação entre tempo e memória do enredo de Quantum Break. Especialmente em torno da Síndrome de Cronum e os efeitos de perda e fragmentação da memória do vilão Paul Serene.


Looper: Assassinos do Futuro, de Rian Johnson

Quantum Break já estava em um processo avançado de desenvolvimento quando Looper: Assassinos do Futuro (Rian Johnson, 2012) chegou à bordo. O filme protagonizado pelo ator estadunidense Joseph Gordon-Levitt e o alemão Bruce Willis foi usado como referência na arte dos efeitos de fragmentação das partículas cronum.


Revisão: Diogo Mendes
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook