Hands-on

Shape Up (XBO) nos faz divertir e exercitar ao mesmo tempo

A aposta da Ubisoft é alta, mas na maré que a companhia está, só podemos esperar mais um jogo de peso da empresa francesa.

Shape Up foi um daqueles títulos que a maioria das pessoas não deu atenção, ou pelo menos não como deveria. “Mais um jogo de exercícios?”. Realmente, não havia nada que chamasse a atenção para o jogo, a não ser o fato de que na conferência da Ubisoft, Yves Guillemot, presidente da companhia, testou o jogo diante da plateia, logo após seu anúncio. Isso nos fez querer saber mais sobre ele.


Shape Up é uma aposta para revolucionar em dois aspectos a indústria dos videogames. Primeiro, em ser um jogo com foco nos exercícios físicos atraente a todos, algo não visto até hoje, mesmo em Wii Fit. Segundo, em ser um título para Kinect que faça um uso completo do aparato, coisa que ainda não vimos. E pelo que testamos na E3, boa parte do trabalho já foi feita. Confira agora os quatro minigames disponíveis na feira, que devem ser uma pequena parte do conteúdo completo.

Levante tudo com suas flexões!

Em Push Them Up devemos fazer flexões. Mas, para tirar a monotonia do exercício, são adicionados “objetos” às nossas costas. Começando por coisas mais leves como malas, barris e baús, o nível de dificuldade vai aumentando, exigindo mais flexões pra nos livrarmos do “peso”, que vai para arcades, carros, elefantes e até baleias! Mas, para não ficarmos apenas fazendo flexões como loucos, em alguns momentos temos que parar no meio de um movimento como estátuas, até que o narrador do jogo nos libere. Isso dá mais dinâmica ao jogo e resultado ao exercício. Na competição em dupla, vence quem chegar mais longe nos 90 segundos. Independente disso, uma pontuação é dada de acordo com seu desempenho.

Detone alienígenas com a força de seu abdômen!

Já Abs Zapper é um pouco diferente. Nele devemos nos sentar e reclinar um pouco as costas, mantendo nossas mãos juntas e levantadas como uma mira. A inclinação força (e muito) a musculatura de nossa barriga e, caso não seja o suficiente, não conseguimos efetuar nossos disparos. Sim, disparos! Nossas mãos são a mira de uma poderosa arma capaz de destruir alienígenas! Como num arcade, eles caem pela tela, em várias disposições e quantidades, e nosso dever é mandá-los pro além. Quem eliminar mais aliens nos 90 segundos, juntando a maior pontuação, vence.

Impulsione-se até a Lua!

Squat Me to the Moon é onde faremos sessões de agachamento. Mas isso é muito chato, então, para animar um pouco as coisas, cada agachamento nos impulsiona para mais perto da Lua, nosso destino. Nessa competição de 90 segundos, quando atingimos certa altura na atmosfera terrestre, devido à nossa pontuação, atingimos um modo especial onde devemos abrir nosso braços como asas e combater inimigos que caem do céu (algo bem parecido com o minigame anterior). Mas isso é temporário e logo voltamos aos agachamentos tradicionais. Mas, acreditem, isso é bem divertido.

Sapateando no ritmo certo!

Piano Step, o último dos quatro minigames apresentados, era o mais familiar de todos. Algo já visto nos jogos de dança que temos por aí e também nos jogos de música (pela mecânica). Estamos de pé em cima de um piano gigante e devemos acertar as teclas conforme as indicações que surgem de baixo pra cima na tela, como uma esteira, ao ritmo de algum sucesso. Passinhos leves não geram resultados e você logo terá um combo negativo. Aqui é preciso quase pular pra acertar as teclas indicadas. Exige mais coordenação do que força física, mas ao final de uma sessão vemos que gerou resultado, já que o ritmo é um pouco puxado, mesmo para 90 segundos.

E no final das contas…

Vocês devem ter ficado curiosos pra saber por que os desafios levam 90 segundos, não? Bom, isso é um padrão no jogo, pra não tornar tudo muito repetitivo e cansativo. Variando entre atividades de curta duração, as chances de se cansar rapidamente são menores. Por sinal, poderemos optar entre dois modos de jogo, um casual, onde faremos essas atividades por diversão, e o modo carreira, onde malharemos de verdade, e é aqui que o jogo atinge sua proposta. Shape Up quer que aqueles que buscam se exercitar mas não gostam da monotonia de uma academia tenham uma saída divertida e que gere resultados. Você pode fazer campanhas monitoradas de quatro semanas, onde o jogo acompanhará seu desempenho, inclusive contando as calorias que você queimou (não me pergunte como). Conforme apresentamos melhores resultados, subimos de nível. E os resultados virão, como foi possível sentir após testar o jogo por um bom tempo.

Outro ponto que deve ter levantado a curiosidade de alguns é sobre as competições serem sempre em dupla, mas muitos devem desfrutar do jogo sozinho. Bem, isso pode ser exatamente a solução. Com o poder do Kinect, geramos um fantasma com nosso resultado, com direito inclusive a dancinha da vitória, e podemos competir contra ele! Além disso, podemos disputar com o fantasma de amigos enviados pela internet. Acreditem, é muito engraçado competir contra você mesmo, ainda mais depois de estar um pouco cansado. Contra amigos então, deve ser sensacional! Imagine a dancinha da vitória de seus amigos e diga que ao menos não será engraçado?
O que vimos na E3 nos animou muito, mas para ser um jogo completo, esperamos muitos outros minigames. O uso do Kinect foi formidável, apesar de termos enfrentado alguns problemas (provavelmente por conta dos curiosos que passavam atrás da câmera para rir de quem se aventurava). Na versão final, prevista para novembro, exclusivamente para Xbox One, tudo isso deve ter sido resolvido. Espero que sejam surpreendidos pelo jogo como fui e que a Ubisoft não deixe de fazer desse mais um de seus jogos sensacionais.

Revisão: Bruno Nominato
Capa: Vitor Nascimento
José Carlos Alves escreve para o Xbox Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook