Phantom Dust (XBO) está congelado, mas não cancelado

Com alguns mistérios inexplicados, desenvolvimento e futuro de Phantom Dust continuam sendo um mistério. Entenda o caso.


Anunciado na conferência da Microsoft na E3 2014, Phantom Dust (XBO) foi uma ausência sentida na edição deste ano da feira. Embora Crackdown (XBO), Scalebound (XBO) e Quantum Break (XBO) também não tenham marcado presença em Los Angeles este ano, isso já havia sido noticiado por Phil Spencer, que também confirmara a presença dos dois primeiros na Gamescom 2015, que ocorrerá em agosto.


O desenvolvimento de Phantom Dust está passando por situações controversas. Em uma entrevista anônima para o Kotaku, alguns funcionários da Darkside Studios, estúdio responsável pelo projeto, afirmaram que o projeto havia sido tirado das mãos deles, após um aumento de escopo determinado pela Microsoft (o jogo seria apenas um multiplayer e com a mudança passaria a contar com single player de 30 horas) sem o investimento necessário para tal. Além disso, o trailer apresentado na conferência de 2014 não havia sido feito pelo estúdio, o que exigiu uma mudança na direção de arte do projeto.
Mesmo com o fechamento da Darkside Studios, Phantom Dust não está cancelado. Em entrevista para a Gamertag Radio durante a E3 2015, Aaron Greenberg, gerente de produtos da Microsoft, afirmou que o jogo não foi cancelado, mas não está em desenvolvimento ativo. Em tradução livre:
"Está sendo um projeto de paixão para ele [Phil Spencer] e muitos na equipe. Estamos explorando o que iremos fazer a longo prazo com Phantom Dust. O projeto não está cancelado. Não temos um desenvolvimento ativo agora, mas é um projeto que, como muitas outras coisas, levará um pouco mais de tempo. Mas neste momento não daremos mais atualizações sobre isso."
Phantom Dust é um projeto capaz de abrir portas para que títulos de sucesso dos Xbox original possam voltar a aparecer, mas seu desenvolvimento conturbado pode complicar este processo. Resta esperar pela Microsoft divulgar mais notícias sobre o caso.

Roberto Rezende é engenheiro de computação e brinca de game designer nos tempos vagos. Acha que Mega Man X4 é o melhor jogo já feito e acha Battletoads o jogo mais superestimado da história. No pouco tempo que sobra, faz reflexões no Juiz Cachorro. Está no Facebook, mas fala muito mesmo no Twitter.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook