Jogamos

Análise: Ultra Street Fighter IV (X360) melhora o Hadouken!

Ultra Street Fighter IV (X360) traz novidades e novos lutadores para as arenas virtuais.

O lançamento da primeira versão de Street Fighter IV (X360) aconteceu em 2009 e desde então vem ganhando edições atualizadas. Trazendo novos personagens para a disputa ou o retorno de velhos conhecidos, o quarto episódio da série procurou se inspirar nos clássicos, diminuindo um pouco o ritmo frenético do antecessor Street Fighter III.

Cinco anos e três atualizações depois, Ultra Street Fighter IV (X360) traz o número de 44 lutadores, que podem se bater até cair em seis cenários adicionais. Essas não são as únicas novidades, no entanto, e algumas trazem mudanças significativas à jogabilidade, acrescentando mais camadas às estratégias de luta. Confira a seguir o que há de novo em Ultra Street Fighter IV!

Todo mundo quer saber dos novos personagens

Não há como negar que, quase sempre, o mais interessante para os fãs é conhecer os novos personagens que farão parte do jogo. Nesta edição, temos cinco novos participantes, todos rostos conhecidos e que já marcaram presença como selecionáveis em outros títulos da série. A exceção fica para Decapre, que não era controlável.

Começando por ela, é interessante ver como seus ataques e estilo de jogo se assemelham aos de Cammy, o que faz todo sentido se considerarmos sua origem. Porém, apesar de ser considerada apenas parecida com a inglesinha, ela tem identidade própria no jogo. Resta saber se vai conquistar o coração da galera.

Rolento não muda quase nada em relação aos títulos anteriores, mas devo destacar que sua roupa alternativa, liberada caso possua um save de Street Fighter x Tekken (X360)  no HD, é simplesmente hilária. Não conheci a terceira versão de Street Fighter, então joguei com Elena pela primeira vez, e não deixo de pensar como seria legal ver ela em um improvável Tekken vs. Street Fighter por conta de seu estilo de luta, mais interessante em um ambiente tridimensional.

Poison esbanja sensualidade na arena ao ponto de parecer ridículo, mas pode ser apenas meu recalque. Piadas toscas à parte, ela parece ser a personagem mais sólida do novo grupo e posso dizer que fui surrado nos combates online tanto por jogadores que preferiam controlar a distância quanto os mais ofensivos. Porém, a decepção da versão vai para Hugo, que aparenta ser mais uma versão do Zangief, só que piorado. Até mesmo seu movimento de agarrão é similar demais ao famigerado pilão.

Não quero sair do quartel-general da Mad Gear

Posso dizer que o que mais gostei em Ultra Street Fighter IV foram os novos cenários. Em especial o do quartel-general da Mad Gear, que possui uma transição entre rounds muito divertida, com a participação de um certo prefeito nervosinho quebrando tudo.

Os outros cenários são bastante diversificados e também muito interessantes, incluindo uma estação espacial, uma perigosa caldeira da SIN, um parque jurássico (eu vi o que vocês fizeram aí, Capcom), um encontro de caminhões cheios de neon, uma pista de skate e um estágio que se passa durante um eclipse solar na África sendo de longe o mais bonito.

E se eu não gostar dos personagens, o que muda no jogo?

Muita coisa muda durante os embates. Começando pelos ultra combos, que ganham uma terceira opção. Não se anime ainda, na verdade essa nova escolha o permitirá usar qualquer um dos especiais. Surpreender seu adversário tem um custo; ambos os ultras ficam com dano reduzido. Mesmo assim, acho que a escolha de ultras acaba se tornando irrelevante com esta nova opção.

Dentro do combate, um novo tipo de ataque surge: os Red Focus Attack. Este ataque focado agora permite ao lutador receber múltiplos acertos, porém ao custo de uma barra do especial. Da mesma maneira que o golpe comum, é possível cancelá-lo com um dash, caso sofra um agarrão ou ataques de quebrar a guarda.

Na jogatina online, dois modos novos aparecem. O primeiro é um conhecido de outros games do gênero, o Team Battle, que permite a competidor escolher três personagens e formar sua equipe. O segundo é o Online Training, no qual você pode chamar um amigo ou jogar com um desconhecido usando as mesmas opções e regras do modo treino para um jogador. Só que com um adversário revidando.
Poison tomou o lugar de C. Viper como musa e ainda manda beijinho no ombro
Ultra Street Fighter IV (X360) traz mudanças significativas no gameplay que o justificam como uma expansão além dos personagens e cenários novos. Embora eu mesmo ainda não tenha conseguido usar as novas mecânicas, fui surpreendido algumas vezes pelo bendito Red Focus Attack e, como já tinha jogado as versões anteriores de Street Fighter IV, ainda não me acostumei muito com a ideia de poder usar dois especiais nesta terceira opção. Mas o fator surpresa pode fazer a diferença para quem souber usar os ultras de maneira efetiva.

Prós

  • Os cenários estão magníficos;
  • Decapre é uma personagem sólida e felizmente não é uma cópia da Cammy;
  • Red Focus Attack pode te fazer correr para as colinas ou tentar agarrar seu adversário como se não houvesse amanhã. Ou seja, adiciona mais camadas à sua estratégia de jogo.

Contras

  • Hugo é uma cópia piorada de Zangief. Entre ele ou o tufão vermelho, continuo com o tufão;
  • Poder usar dois ultras faz a escolha de especiais um pouco inútil, mesmo que tenham dano reduzido;
Vale lembrar que Ultra Street Fighter IV por enquanto está disponível apenas como uma atualização para quem já possui o Super Street Fighter IV: Arcade Edition (X360). A versão física chega às lojas no próximo 05 de agosto.
Ultra Street Fighter IV - Xbox 360 - Nota Final: 8,0

Revisão: Bruna Lima
Capa: Diego Migueis

Filipe Salles é formado em Administração de Empresas pela UNIGRANRIO, joga videogame desde os quatro anos. Nerd assumido, adora falar sobre cultura geek e videogames, o que o levaram à redação do Xbox Blast e da PlayerTwo. Está no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook