Jogamos

Análise: Em Alien Isolation (XBO), sinta na pele o horror de ser perseguido por um alienígena mortal

Alien: Isolation faz prender a respiração e é o jogo que todo fã da série de filmes Alien estava esperando!


Desenvolvido pela Creative Assembly e publicado pela SEGA, Alien: Isolation é uma aventura desafiadora de survival horror e stealth que recria fielmente toda a atmosfera do primeiro filme dirigido por Ridley Scott.


Ripley e o pesadelo de Sevastopol

A história do jogo se passa no ano de 2037, quinze anos depois dos acontecimentos do primeiro filme da série. No controle de Amanda Ripley, filha de Ellen Ripley, começamos a aventura de horror tentando recuperar a caixa preta da Nostromo para obter pistas sobre o paradeiro de Ellen.


Isso acaba nos levando à estação espacial Sevastopol, que está sendo dizimada por um alienígena xenomorfo que fora trazido à bordo exatamente da mesma forma como acontece no filme Alien.

Perseguidos pelo medo

Alien: Isolation é um jogo que sabe reproduzir maravilhosamente bem aquela tensão e o suspense dos filmes de terror de antigamente. O medo se alastra por nossa imaginação logo nos primeiros minutos de jogatina sem o jogo precisar mostrar uma imagem horripilante sequer para que isso aconteça.


Quando Amanda coloca os pés em Sevastopol, ela não é recebida por uma horda inimiga, pelo xenomorfo ou por tiros e gritos de morte por todo lado. Só o que encontramos ao entrar na estação é um clima de abandono e destruição que nos diz que algo de muito errado está acontecendo naquele lugar.

Encontramos pessoas e androides logo nos primeiros momentos do jogo, que podem ser aliados, ora inimigos mortais. Tudo depende das circunstâncias.


Conforme avançamos, vez ou outra ouvimos passos ou vozes vindos de outros compartimentos. Logo percebemos que todos estão procurando se proteger de algum assassino. Com o medo do desconhecido já surtindo efeito, percebemos que cada passo dado precisa ser feito com cautela.

A Criatura

Leva um tempo até que a gente encontre cara-a-cara nosso arqui-inimigo no jogo, mas assim que o encontramos pela primeira vez, nossa tensão inicial aumenta exponencialmente, e dificilmente voltamos a sentir aquela sensação de solidão que sentimos no início da aventura, se é que me entendem.


Em boa parte das missões teremos que travar uma verdadeira batalha de inteligência contra essa criatura mortal que pode nos matar com apenas um golpe. Por ser praticamente invulnerável e por ter uma inteligência artificial que “evolui” conforme nossa maneira de jogar, o alien realmente é um inimigo que impõe medo.

Gosta de se esconder em armários para fugir da atenção inimiga? Continue se escondendo e o alien vai começar a perceber este padrão em você e investigará com mais cuidado todos os armários.


Gosta de correr despreocupadamente pelos corredores mesmo enquanto ouve passos ou algum barulho metálico próximo de você, achando que tudo isso só foi criado como enfeite de tensão para o cenário em que você está? Melhor pensar de novo, porque quando você ouve algum barulho estranho neste jogo, a origem dele quase sempre é real e muito perigosa.

Você não é um soldado, é um sobrevivente 

A jogabilidade de Isolation envolve quase sempre táticas de sobrevivência furtiva. Vez ou outra até podemos enfrentar nossos inimigos com ataques diretos e ousados, mas nosso sucesso na aventura depende da forma como nos locomovemos pelo ambiente e da forma como utilizamos nossas armas.


Salvo algumas exceções, nós é que devemos fabricar nossas próprias armas, coletando materiais pelo cenário e se escondendo em algum lugar seguro para montá-las. Você terá à sua disposição projetos para a fabricação “caseira” de bombas de fumaça, granadas de luz, geradores de ruídos, coquetéis molotov e minas de proximidade. E não faltarão maneiras inteligentes de você utilizá-las durante o jogo.

Estas armas quase não surtem efeito algum no alienígena, o que, de verdade, não é algo ruim, mas podem ser usadas para gerar distrações e armadilhas para acabar com grupos de inimigos humanos e androides.


Com relação ao alienígena, o máximo que você pode fazer através do combate direto é conseguir assustá-lo, o que já é algo ótimo, já que se ele não estiver assustado quando lhe encontrar, Amanda sofrerá certamente uma morte brutal.

Alô! Me salva!

Alien: Isolation raramente salva o jogo automaticamente. Só faz isso quando trocamos de cenário ou concluímos um capítulo da história. Entretanto, espalhados pelos cenários de cada uma das missões, podemos encontrar telefones que permitem ao jogador criar manualmente um checkpoint.


O que a princípio pode parecer como um ponto negativo para alguns, na verdade, ao meu ver, se fez como um elemento que adiciona ainda mais momentos de tensão seguidos de alívio na aventura, uma combinação essencial para a fórmula de sucesso de um verdadeiro survival horror.

Um marco para os títulos da franquia Alien

Como um survival horror legítimo, original e ousado, Alien: Isolation traz com maestria todo o suspense e a tensão da consagrada série de filmes para o universo interativo dos games, e faz isso de uma forma jamais vista em um jogo da série. Se você é fã ou do verdadeiro estilo survival horror ou dos filmes da franquia Alien, a aquisição deste jogo é quase obrigatória.

Prós

  • Recria com maestria a atmosfera do primeiro filme;
  • Mescla muito bem jogabilidade de survival horror com táticas stealth;
  • Dublagem e legendas em português brasileiro.

Contras

  • Alguns bugs aqui e ali.
Alien: Isolation – Xbox One – Nota: 9.0
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Wellington Aciole
Gabriel Vlatkovic é economista formado pela Unicamp. Trabalha como Analista de Finanças e joga videogames há quase vinte anos. Adora ouvir música, assistir a filmes e seriados e discutir a Timeline de Zelda. Quando não está trabalhando, está no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook