Stage Select

Enfrente as criaturas mais ferozes e mortais em Tyrus, a cidade que cheira à morte, em Gears of War Judgment

A rica e belíssima nação de Tyrus era considerada a joia de Sera. Capital do país, Ephyra, era o centro do governo e contava com construçõ... (por Luis Antonio Costa em 22/11/2013, via Xbox Blast)

A rica e belíssima nação de Tyrus era considerada a joia de Sera. Capital do país, Ephyra, era o centro do governo e contava com construções gigantescas e palácios monumentais. Em seus tempos de glória, a justiça e liberdade dominavam os aspectos da vida cotidiana de seus cidadãos.E, por vários anos, uma família real governou a nação, com reis e rainhas agregando prosperidade e riquezas ao reino e ao povo. Graças ao poderio e organização militar, Tyrus auxilou diversos países nas Pendulum Wars. Infelizmente, todo império que tem seu apogeu, logo encontrará sua queda. E é nessa nação destruída por terríveis e cruéis criaturas que os bravos soldados da COG precisam se aventurar, antes que a morte domine não só Tyrus mas o mundo inteiro.

Batalhando dentro de um pesadelo

Quando o tenente Baird e seus companheiros chegam para retomar essa terra perdida da posse dos terríveis Locusts, eles encontram uma cidade desolada, em ruínas e sendo consumida pelo fogo do esquecimento. E mesmo parecendo que não há mais nada por aqui além de destruição, o grupo de combatentes precisa ficar de olhos e ouvidos bem abertos porque os inimigos podem aparecer de qualquer lugar. Tenha sua arma sempre em punho, bastante munição e atenção redobrada para enfrentar qualquer perigo inesperado.
Tyrus arde em chamas durante as Locust Wars
Apesar de parecer que a cidade está cercada por vento que cheira à morte, observar Tyrus é como viajar a uma época onde a humanidade prosperava e tudo era grandioso. Prédios e construções gigantescas que misturam o estilo greco-romano ao neoclássico estão por todos os lados e mesmo os ícones e estátuas destruídas nos trazem a lembrança de tempos antigos, onde aquela nação florescia e expandia seu poder sobre grande parte de Sera. É devastador ver o quanto os Locusts foram capazes de praticar a destruição apenas para conquistar um território que agora mais se parece com um cemitério.

Mas o objetivo do batalhão de Baird não é ficar admirando uma cidade em ruínas e sim atingir a praça principal onde eles poderão ter uma visão melhor do território e dos inimigos que se escondem e rastejam pelas sombras. Se eles conseguirem dominar esse ponto estratégico, uma vitória importante contra a invasão Locust será alcançada. Estranhamente, chegar até o local não é uma tarefa complicada. Com passagens desimpedidas e sem muitos perigos pelo caminho, o grupo consegue em pouco tempo alcançar a praça, que fica em um ponto alto da cidade. Infelizmente, os soldados ainda não podem cantar vitória.
A batalha mortal pela posse de Tyrus está apenas começando...

Apenas um tiro não será suficiente

No meio da praça central de Tyrus, a batalha pela retomada da cidade atinge seu ponto crítico quando o tenente Baird e seus camaradas encontram um dos monstros mais perigosos que os Locusts já geraram. A fera gigantesca aparece rompendo o chão a sua frente e, com a aparência de um caranguejo gigante enfurecido, ela tenta avançar contra os heróis. E é nesse primeiro instante, enquanto a cidade está queimando e ruindo a sua volta e a besta analisa sua presa, que os soldados precisam aproveitar para coordenar seu ataque e tentar descobrir o ponto fraco dessa aberração monstruosa.
Atire até a última bala no ponto fraco do monstro!
Com apenas alguns tiros pode-se localizar um ponto sensível a danos logo acima do corpo da criatura. Pena que somente isso não será capaz de deter a fera que em poucos instantes partirá para um ataque direto. Nenhum humano aguentaria o choque com um monstro desses, então tente não ficar no caminho dele quando o monstrengo fugir para outro ponto da arena de combate, ou sofrerá muitos danos. Ainda bem que essa mudança de posição auxilia no replanejamento da estratégia, além de permitir recarregar as munições.

Após esse primeiro confronto, Baird e os soldados precisam se planejar com cuidado para destruir as pernas do monstro enquanto ele usa de vários métodos mortais para se livrar de seus inimigos. Os ataques que ele irá desferir são amplos, como atirar ferozmente contra seus alvos ou utilizar hordas de Locusts para distrair os heróis e mantê-los ocupados enquanto investe contra eles. Nesse caso é altamente recomendado utilizar o lançador de granadas para se livrar desses obstáculos incômodos e focar no alvo principal, que insiste em mudar de posição de minuto em minuto para dificultar o combate.
No meio da batalha, procure abrigo e se proteja dos ataques aéreos do monstrengo.
Menos mal que, depois de muita munição gasta e várias pernas arrancadas e dilaceradas, o monstro finalmente se dá por vencido e Baird pode esmagá-lo. Agora sim, a praça está segura e COG pode retomar o controle sobre a cidade esquecida. Apesar do combate mortal entre as ruínas de Tyrus não ser um dos estágios mais longos do jogo, o combate com o Locust gigante proporciona a dose certa de emoção e adrenalina. A luta rápida e repleta de mudanças de padrão força o jogador a tomar decisões rápidas e planejar suas estratégias de forma correta para alcançar a vitória. Uma vitória suada, mas merecida. Triste pensar que essa sensação de sucesso talvez dure muito pouco para a humanidade enquanto os Locusts continuarem existindo.
Um pesadelo prestes a terminar,

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Daniel Machado

Luis Antonio Costa escreve para o Xbox Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook