Discussão

A Microsoft venceu a E3 2015?

A Microsoft mais uma vez mostrou a força do XBO com uma conferência de tirar o fôlego. Teria ela vencido a E3?

Que E3 amigos. Com uma das melhores conferências dos últimos anos, fomos agraciados com apresentações de primeira linha e grandes lançamentos para os anos que virão. Apesar da alegria ter vindo das mais diferentes fontes, comparar é inevitável (como eu sempre digo). Logo, a pergunta que surge aqui no Xbox Blast, e que pretendo responder para vocês hoje, é simples e direta: A Microsoft "venceu" a E3 2015?

Exclusivos pra todo mundo

Vamos falar a verdade, embora todos nós gostemos de jogos third parties (tirando nintendistas porque... né?), nós também sabemos que o mais importante para definir o sucesso de um console no que diz respeito a sua biblioteca de títulos são os exclusivos. E a Microsoft fez questão de nos lembrar disso. Passando por gameplays e detalhes de jogos já aguardados pelo público, como a sequência da franquia Halo e o novo jogo da série Forza, a Microsoft reservou uma boa parte de sua apresentação mostrando que os grandes clássicos do console retornarão com tudo na nova geração
Mas se engana quem pensa que somente as já consagradas IPs exclusivas da Microsoft comporão a biblioteca de exclusivos do XBO. Com um anúncio inesperado, tivemos o anúncio de uma nova e promissora IP: ReCore (que terá a mesma equipe responsável por Metroid Prime e é assinada por Keiji Inafune).

Cooperação com o PC

Ok, embora os jogos compartilhados com o PC não podem ser considerados exclusivos pela essência da palavra (que é definida pela impossibilidade de joga-lo em qualquer outra plataforma que não uma específica) a verdade é que os jogos comuns entre o XBO e o PC são um trunfo da Microsoft na guerra dos consoles. Basta pensar naquela pessoa com um pouco menos de poder aquisitivo e que prefere não ter um PC nem ao menos razoável para poder adquirir um console. Para esse tipo de usuário o que importa é quais jogos ele vai poder jogar no console que escolher, logo, a existência desses títulos para o PC é irrelevante para o mesmo.

Com isso em mente tivemos muitos títulos promissores que também darão as caras no PC. Embora uma novas IP tenha sido anunciada, o free to play Gigantic, o grande destaque dessa categoria de jogos foi para um título que já havia dado as caras no ano passado. Com um visual de desenho animado dos anos 30, Cuphead promete trazer um mundo nostálgico e com um level design único para as telas do XBO e PC.

Retrocompatibilidade e a volta da Rare

Esse talvez tenha sido o ponto alto de toda a E3, e não só da conferência da Microsoft: a retrocompatiblidade. Com uma mudança de arquitetura um radical entre as duas plataformas, esse desafio, nas palavras do próprio Phil Spencer, parecia ser impossível de ser realizado. Mas atendendo as preces da comunidade o próprio CEO da Xbox foi ao palco anunciar que, uma leva de cada vez, os maiores títulos do X360 poderão ser jogados no XBO, com todas as novas vantagens que esse trouxe, sem pagar nada mais por isso. Em uma geração que se caracteriza cada vez mais pela ausência de grandes títulos, causando essa enorme onda de remasters, essa pode ser uma carta na manga que pode abalar, e muito, a Sony.
Para complementar essa "volta ao passado" tivemos, depois de muitos anos de espera, a volta da Rare com um título novo, Sea of Thieves, mas também com uma colectânea de mais de 30 grandes jogos da empresa por apenas trinta dólares. Se você pensar em quanto cada jogo sai no Virtual Console da Nintendo, verá o quão bom é esse preço.

Novidades também no hardware

Para a parte "física" do console, a empresa trouxe duas grandes novidades. A primeira, e menos impactante, foi uma versão "elite" do seu já renomado controle. Sendo também o favorito do jogadores de PC, o controle virou uma exemplo de excelência e agora vai dispor também de uma versão especial com gatilhos e direcionais configuráveis, além de uma precisão e controle ainda maior. 

Mas a grande surpresa ficou por conta do Hololens. Esse periférico, que já havia sido demonstrado no fim do ano passado, deu novamente as caras, dessa vez, entretanto, de uma forma nunca antes vista. Ao contrário de apresentações feitas previamente demonstrando as possibilidades da nova tecnologia, nós fomos agraciados com uma apresentação ao vivo com o game Minecraft. Confesso que até agora estou sem palavras sobre o resultado, logo vou deixar apenas o vídeo para vocês se maravilharem também.

A grande vencedora

É complicado dizer qual empresa "ganhou" essa feira. Com apresentações memoráveis e grandes jogos sendo mostrados, não tenho medo de dizer mais uma vez (assim como na feira do ano passado) que o grande vencedor fomos nós jogadores. Dentre as três grandes empresas, entretanto, foi visível a grande diferença de qualidade entre a ótima conferência da Microsoft e suas concorrentes. E para vocês, a Microsoft realmente foi tão bem? Quem venceu a E3 para você?


Capa: Felipe Araújo
João Pedro Meireles é graduando em Engenharia de Computação na UFRGS. Viciado em jogos, em especial Mobas e RTS, passou boa parte da vida jogando-os e pesquisando sobre aqueles que não teve tempo de jogar, o que o levou a virar redator do Xbox Blast.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook