Jogamos

Análise: Asura's Wrath (X360)

Lançado no dia 21 de fevereiro de 2012, Asura’s Wrath foi concebido por uma parceria entre a Cyberconnect2, conhecida pelos jogos da série... (por Filipe Salles em 17/01/2013, via Xbox Blast)

Lançado no dia 21 de fevereiro de 2012, Asura’s Wrath foi concebido por uma parceria entre a Cyberconnect2, conhecida pelos jogos da série .hack, e a Capcom, que dispensa apresentações. O jogo oferece uma trama parecida com a da série God of War, recheada de fúria, vingança, seres incrivelmente poderosos, e, claro, muita destruição e pancadaria, podendo até mesmo ser considerado o God of War versão anime. Curioso para saber o motivo? Confira em nossa análise aqui no Xbox Blast!

Star Wars misturado com mitologia hindu?

Todo o cenário de Asura’s Wrath tem forte inspiração na religião hindu, como por exemplo o conceito de mantra, que nesta religião é uma técnica utilizada pelo seu praticante para alcançar uma concentração maior em sua meditação ou também para expressar sua devoção à determinada divindade. Enquanto isso, o mantra de Asura’s Wrath é meramente a energia que rege o mundo e está por todos os cantos, funcionando da mesma maneira que o ki de Dragon Ball Z e o chakra de Naruto.

Aliando-se a este contexto místico, onde a maioria dos nomes de seus personagens remetem às religiões orientais, temos o lado inspirado nos filmes e seriados de ficção científica, onde podemos ver gigantescas fragatas espacias manobradas por uma tripulação bem ao estilo Star Trek. A primeira cena no espaço lembra bastante as batalhas vistas entre a aliança dos Vorlons (que representam a luz) contra as espaçonaves biológicas das Trevas, na antiga série Babylon V, como pode ser visto na introdução do jogo logo abaixo:


Eu já vi essa trama em algum anime

Exatamente como este subtítulo diz, a trama de Asura’s Wrath, apesar de possuir uma mistura interessante entre religiões orientais e ficção científica, é pouco original e versões dela são facilmente encontradas em muitas séries, filmes e desenhos. A história de Asura’s Warth serve apenas como um pano de fundo para te jogar dentro da pancadaria sem fim.

Asura’s Wrath conta a história de Asura, um dos oito guardiões do planeta Gaea, que cai em uma cilada armada por seu próprio comandante, e acaba por ser injustamente acusado de assassinar o imperador, e por conta disto sua esposa é morta e Mithra, sua filha que foi raptada. Mas é claro que não iria parar por aí. Derrotado por seus supostos aliados, Asura é arremessado do espaço em direção à Gaea e é dado como morto.

Doze mil anos após este acontecimento, Asura é despertado entre o mundo dos vivos e dos mortos por uma estranha aranha dourada que o guia durante sua jornada de volta ao planeta. Agora Asura só possui dois objetivos: resgatar sua filha e acabar com a raça de todos aqueles que o traíram no passado, tudo isso com uma dose exagerada de raiva e explosão.

O anime mais interativo que você já assistiu

Uma das particularidades de Asura’s Wrath é a forma como a história é transmitida ao jogador. Quem já está acostumado a assitir anime, os famigerados desenhos japoneses, se sentirá em casa pois a estrutura narrativa do jogo é inteiramente baseado nos mesmos, incluindo até mesmo uma tela de pausa para comercial, só que obviamente sem os comerciais propriamente ditos.

A parte gráfica e artística do jogo realmente não deixa a desejar, sendo esta a melhor parte do jogo, o que de certa forma é excelente pois a maior parte do tempo você estará assistindo ao game ao invés de o jogando efetivamente. Dito isto, algumas vezes é frustrante ter tão pouco tempo de ação para tanto tempo de vídeos.

O maior problema do game é que, para tentar diminuir a impressão de que estamos boa parte do tempo a assistir, foi inserido uma grande quantidade de QTE (quick-time events) dentro dos vídeos, o que na verdade acaba por piorar, pois os vídeos são de ótima qualidade e estes eventos em excesso acabam por estragar um pouco a experiência.

A parte sonora de Asura’s Wrath se equivale a parte visual do jogo, com efeitos sonoros que passam com sucesso a sensação de estar lutando em proporções épicas. Os fãs dos desenhos japoneses também se sentirão muito satisfeitos, pois a versão norte-americana conta com a dublagem original japonesa, e o melhor, com legendas em inglês, que o permitirão entender a história mesmo que não entenda o idioma da terra do sol nascente. Não entende inglês? Então acabou de arrumar uma desculpa para ir ao cursinho.

Simples de se bater, do jeito que a gente gosta

Mesmo com as proporções épicas que o jogo oferece, você não precisará ser um semi deus como Asura para poder aprender os controles do jogo. Os controles se resumem ao ataque leve, ataque forte, disparos de energia, pulo, corrida e defesa. Além disto, o sistema de contra-ataque é bem fácil de ser executado, apertando apenas o botão que aparecer na tela quando o inimigo o atacar.
Goro! Você é o próximo!
Para passar para a próxima cena, é necessário que você espanque seus inimigos sem dó até que encha uma barra para ativar o modo especial. Neste modo, é necessário que você aperte os botões que aparecem na tela no momento certo para acertar os vilões, de uma maneira muito parecida como os combates contra chefes vistos em God of War. Uma pena que toda esta ação dura pouquíssimo tempo, raramente passando de 5 minutos entre o início e o fim. Um outro defeito é que o jogo todo em si na verdade tem uma duração muito curta, levando cerca de 10 horas para ser finalizado.

Por fim, Asura’s Wrath é a alternativa menos violenta à maioria dos jogos do gênero, visto que os próprios personagens não sangram, e com proporções ainda maiores do que os chefes vistos na série do general espartano, sendo alguns deles maiores do que o próprio planeta. E você? Concorda com a afirmação de que Asura’s Wrath é o primo japonês de God of War? Já teve a chance de destruir frotas espaciais com nosso herói de múltiplos braços? Compartilhe conosco!

Prós

  • Gráficos e sons de altíssima qualidade;
  • Combate simples, porém eficiente e divertido;
  • O desenrolar da trama tem uma ótima qualidade de narração e agrada aos fãs de anime;
  • Níveis de poder épicos convencem o jogador de que são deuses que estão lutando.

Contras

  • Trama previsível e cheia de clichês;
  • Excesso de sequências de vídeo;
  • Grande quantidade de QTEs não ajudam a amenizar o contra anterior;
  • O jogo tem duração muito curta.
Asura’s Wrath - Xbox 360 - Nota Final: 7,5
Revisão: Leandro Freire
Filipe Salles é formado em Administração de Empresas pela UNIGRANRIO, joga videogame desde os quatro anos. Nerd assumido, adora falar sobre cultura geek e videogames, o que o levaram à redação do Xbox Blast e da PlayerTwo. Está no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook