Jogamos

Análise: O que acontece quando nossos maiores protetores se viram contra nós? Descubra em Injustice: God Among US

E se nossos maiores heróis se virassem contra a humanidade? Se aqueles que nos protegiam resolvessem nos controlar e dominar? Com essa pre... (por João Pedro Meireles em 02/06/2013, via Xbox Blast)

E se nossos maiores heróis se virassem contra a humanidade? Se aqueles que nos protegiam resolvessem nos controlar e dominar? Com essa premissa, a Netherrealm criou seu novo jogo de luta, Injustice: Gods Among Us, que traz os maiores heróis e vilões da clássica companhia DC Comics, batalhando uns contra os outros pelo destino da humanidade. Com um gameplay fortemente baseado no último game do estúdio (Mortal Kombat) e um enredo criado em parceria com escritores da própria DC, será que Injustice convence os fãs de luta e os fãs da empresa?

Um novo Deus

A história de Injustice, embora não seja muito empolgante ao longo da jogatina, foi bem planejada e se mostra uma boa “desculpa” para toda a pancadaria rolar solta ao longo da campanha. Tudo começa quando Coringa engana Superman e faz com que esse mate Lois, que estava esperando um filho do Kryptoniano. Para piorar, a sua morte era um controle remoto para uma bomba nuclear instalada no centro de Metropolis, que explode, dizimando a cidade e matando milhões de cidadãos inocentes.

Cego pela dor de sua perda, Superman mata o Coringa e começa a desenvolver uma forte tirania sobre o globo, com o intuito de acabar com toda e qualquer violência existente em nosso mundo. Esse regime, entretanto, não era aceito por todos os super-heróis, já que alguns acreditavam que, mesmo com o objetivo de acabar com toda a violência do mundo, comandar os humanos dessa forma era algo inaceitável. Comandados por Batman, esse grupo, chamado de Insurgência, começa a lutar contra o regime do homem de aço, eclodindo o confronto entre os super-heróis do globo.

Para todos os gostos

Um dos grandes destaques do jogo é, obviamente, seu elenco composto dos maiores heróis e vilões do vasto universo da DC Comics. Superman, Shazam (Capitão Marvel), Asa Noturna, Exterminador (Deathstroke), Coringa, Sinestro, esses são apenas alguns dos nomes que o usuário poderá escolher para usar nos grandes combates do jogo.
Personagens do jogo

Com o jogo todo em português, uma grata surpresa em Injustice são as dublagens. Embora alguns personagens não tenham uma dublagem muito boa (como o Adão Negro), no geral o nível é muito alto e podemos reconhecer as vozes desses heróis que tanto víamos na infância. Superman, por exemplo, teve a voz recriada pelo famoso dublador Guilherme Briggs, responsável pela voz do homem de aço nos desenhos da Liga da Justiça.

Confrontos épicos

As lutas entre personagens tão poderosos são muito bem recriadas no jogo, que sempre dá a impressão de estarmos lutando em uma batalha épica. A jogabilidade flui de forma muito semelhante a vista em Mortal Kombat, entretanto, é muito errado afirmar que os combates de Injustice são apenas uma cópia do famoso game da Netherrealm. Embora o sistema de combos seja parecido, Injustice possui uma identidade própria, seja pela a interação com o cenário ou com os poderes dos heróis, a sensação é de estar jogando algo totalmente novo em relação à experiência de Mortal Kombat.

Uma das características marcantes acrescentadas ao jogo, é o poder único de cada herói. Ativado pelo botão B, esse traz uma habilidade única para cada personagem, podendo ser um acréscimo na força, agilidade ou defesa ou um mecanismo único para ajudar no combate. Cada poder reflete uma característica do personagem usado, o que ajuda ainda mais a nos sentirmos na pele do nosso herói ou vilão favorito (como usar a super velocidade de Flash, por exemplo).

Outra característica única de Injustice (e uma das mecânicas mais divertidas dentre todos os jogos de luta), é a interação com os belos cenários do game. Quase tudo no cenário pode ser destruído, arremessado ou quebrado pelos heróis, fazendo que o posicionamento na tela seja um fator importante na vitória ou derrota. Além disso, a grande maioria das fases do jogo permite uma transição interna (como entrar na mansão Wayne, por exemplo), que é ativada ao estar no canto certo da tela, causando um grande dano ao adversário e ativando uma bela cutscene do seu oponente voando em direção ao próximo cenário.
Espantalho da as caras em uma das transições de fase do jogo

Lutar até não poder mais

Injustice possui três modos de jogo principais. A campanha, que será vivida na pele de diversos personagens ao longo da história. O modo Batalha, semelhante ao modo Arcade de Mortal Kombat, no qual o jogador escolhe um personagem para enfrentar 9 heróis ou vilões, até o confronto final contra Superman. E como não podia deixar de ser, devido ao grande sucesso deste modo em Mortal Kombat, temos o S.T.A.R. Labs Missions, onde podemos enfrentar diversas lutas, e alguns minigames, com todos os personagens do jogo (assim como na Torre dos Desafios em MK).

Salvar o mundo nunca foi tão divertido

Injustice: Gods Among Us não é perfeito, infelizmente. Além da campanha, que não prende o jogador até o fim, temos o fraco tutorial do game, que pode assustar os mais novatos em jogos de luta. Apesar desses erros, o jogo é extremamente divertido e consegue agradar grande parte do público com suas lutas épicas e seu vasto elenco de heróis e vilões, que deixam todos os fãs, tanto de jogos de luta como da DC Comics, realizados ao perder algumas horas na frente da tela.

Prós


  • Elenco de heróis e vilões muito bem escolhido
  • Interação com o cenário
  • Grande quantidade de conteúdo desbloqueável

Contras


  • Tutorial fraco e raso
  • História pouco envolvente
Injustice: God Among Us - Xbox 360 - Nota: 9.0
Revisão: Bruno Nominato
Capa: Diego Migueis
João Pedro Meireles é graduando em Engenharia de Computação na UFRGS. Viciado em jogos, em especial Mobas e RTS, passou boa parte da vida jogando-os e pesquisando sobre aqueles que não teve tempo de jogar, o que o levou a virar redator do Xbox Blast.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook