Jogamos

Análise: Experimentamos Super Meat Boy (X360), carne de primeira na Xbox Live Arcade!

Todo o charme da Team Meat! Meat Boy veio ao mundo como um simples jogo de plataforma em Flash criado por Edmund McMillen e programad... (por Thomas Schulze em 18/07/2013, via Xbox Blast)

Todo o charme da
Team Meat!
Meat Boy veio ao mundo como um simples jogo de plataforma em Flash criado por Edmund McMillen e programado por Jonathan McEntee. Só que as mecânicas viciantes e desafiadoras do game acabaram chamando a atenção dos jogadores e da mídia. O game fez um sucesso tão grande que a Microsoft e a Nintendo procuraram Edmund e pediram que uma versão fosse feita para seus serviços online, a Xbox Live Arcade e o Wiiware, respectivamente.

Como a versão para o Nintendo Wii acabou não acontecendo devido a limitações no serviço online da Big N, o game acabou se tornando uma exclusividade do Xbox 360 entre os consoles de mesa. Para dar cabo da missão de aprimorar o Meat Boy original surgiu o time de desenvolvimento Team Meat, capitaneado pelo próprio Edmund McMillen e por Tommy Refenes. Juntos, a dupla deu vida a Super Meat Boy, uma das maiores sensações do mundo dos videogames em 2010.

Direto do túnel do tempo

O grande herói do jogo é Meat Boy, um simpático quadradinho feito de carne que vivia em paz com sua igualmente quadrilátera namorada cor de rosa Bandage Girl, até que o maléfico Dr. Fetus resolveu sequestrar a garota. O “roteiro” da aventura não poderia ser mais simples e remete diretamente aos despretensiosos jogos de videogame dos anos 1980, cujas histórias eram sempre bem básicas e rasas.

Aliás, a premissa básica de “resgatar a princesa” não é a única homenagem que Super Meat Boy faz aos videogames da época. Super Mario Bros. é uma influência declarada e óbvia do pessoal do Team Meat, mas basta jogar por alguns minutos para notar que muitos outros jogos da época marcaram a vida da equipe de desenvolvimento. Por exemplo, sempre que você chega a um novo mundo de jogo rola um pequeno e bem-humorado filminho que serve apenas para parodiar cenas clássicas de jogos retrô como Castlevania, Street Fighter II e Adventures of Lolo.
Logo na abertura já rola uma homenagem legal
ao clássico Street Fighter II!

Um jogo muito desafiador

A aventura de Meat Boy é dividida em  mundos temáticos que somam mais de trezentas fases no total. O objetivo de cada nível é bem simples no papel: fazer o Meat Boy alcançar a Bandage Girl. O problema é que no meio do caminho há sempre dezenas de lâminas, abismos e até mesmo raios laser cuidadosamente colocados no cenário para fritar o pobre pedacinho de carne. Ao longo da jornada visitamos os lugares mais improváveis e mortais, desde uma fábrica de sal até o próprio inferno, o que garante muitos desafios.
Cuidado, Meat Boy! Acho que aquelas marcas vermelhas
não são de ketchup...


Confome os níveis vão passando, Super Meat Boy exige mais e mais precisão do jogador, cobrando pulos milimétricos e certeiros para superar os obstáculos, o que acaba configurando mais uma homenagem à década de 1980, um tempo de games cuja dificuldade era brutal (pense em Battletoads, Mega Man e Ghost’n Goblins). Então não se deixe enganar pelo número ilimitado de vidas e pela possibilidade de pular algumas fases, pois Super Meat Boy é certamente um dos jogos mais desafiadores lançados nos últimos tempos.

Como nos clássicos jogos de
plataforma 2D, os mundos são
temáticos (e dificílimos!)
Por sinal, depois que você explorar tudo no jogo há ainda o modo “Teh Internets”, no qual níveis bônus são acrescentados gratuitamente, aumentando bastante o fator replay de Super Meat Boy. Não deixa de ser uma excelente pedida, embora os jogadores que não apreciem jogos de plataforma baseados em tentativa e erro possam reclamar da falta de variedade nos objetivos ao longo de todas essas centenas de fases de plataforma.

Carne de primeira

Essa carne é friboi!
Super Meat Boy é uma carta de amor aos videogames antigos. Se você teve o prazer de acompanhar os primórdios da indústria não precisa nem pensar duas vezes antes de comprar esse jogo, pois ele foi feito para você. Simples, charmoso e completamente viciante, trata-se de um belo exemplo de como a criatividade e paixão empregadas nos jogos indie podem ensinar muito às super produções dos jogos AAA.

Prós

  • Desafio elevado (se você ama esse tipo de coisa);
  • Muitas homenagens aos videogames antigos;
  • Personagens carismáticos.

Contras

  • Desafio elevado (se você odeia esse tipo de coisa);
  • Falta de variedade.

Super Meat Boy - X360 - Nota: 9,0
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Vitor Nascimento 
Thomas Schulze escreve para o Xbox Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook