Jogamos

Análise: Embarque em uma grande aventura pelo mundo com o Tio Patinhas em DuckTales Remastered (X360)

Quem é o homem mais rico do mundo? Se sua resposta for Carlos Slim Helu, acertou na mosca (ou consultou a Forbes). Mesmo assim, ainda exi... (por Filipe Salles em 15/08/2013, via Xbox Blast)


Quem é o homem mais rico do mundo? Se sua resposta for Carlos Slim Helu, acertou na mosca (ou consultou a Forbes). Mesmo assim, ainda existe um ser que consegue ser ainda mais rico que o gigante das telecomunicações do México, e o nome dele é Scrooge McDuck, conhecido por aqui como Tio Patinhas!

Famoso pelo seu desenho animado, exibido no Brasil durante a década de 90, o elegante pato também estrelou na tela dos videogames em 1989 com DuckTales (NES), um jogo de plataforma que conquistou uma legião de fãs e se tornou um clássico. Quase 25 anos depois, a Capcom presenteia os fãs do clássico com uma versão remasterizada do clássico intitulada DuckTales Remastered, com versões para o Xbox 360, PC, PS3 e Wii U. Confiram logo abaixo o motivo desse título ser o melhor remake da empresa, superando até mesmo a coletânea Dungeons & Dragons: Chronicles of Mystara (X360).

Com o Tio Patinhas, toda hora é hora de aventura!

A saga do pato mais rico do mundo começa com a invasão de seu cofre, feita pela quadrilha dos irmãos metralha que, por incrível que pareça, o único item que estavam interessados em levar era uma pintura de baixo valor. Ao serem afugentados à base de pulos e cajadadas, os bandidos fogem, deixando um pedaço de papel para trás.

Tio Patinhas e seus sobrinhos Huguinho, Zezinho e Luizinho, descobrem que o tal papel contém a localização de cinco tesouros espalhados ao redor do mundo, e até mesmo fora dele. Com a possibilidade de novos lucros e de uma grande aventura, o ambicioso pato sai em busca de mais artigos para sua coleção.

Seja fã do desenho ou do jogo, prepare-se para a nostalgia!

Os elementos gráficos e sonoros do jogo com certeza irão trazer boas lembranças aos fãs, até mesmo para os que não tiveram a oportunidade de jogar o título original (como eu), mas que assistiram ao desenho na infância. Logo de início, temos o tema original do desenho no menu principal do game, música que com certeza arrancará um sorriso dos fãs. Os efeitos sonoros também são muito bem executados.

Os diálogos do jogo também são muito bem feitos e proporcionam muitas risadas, principalmente nas conversas entre o ranzinza protagonista e os outros personagens do jogo, como Patrícia, PatralhãoCapitão Boeing. A boa notícia para os fãs brasileiros é que esta versão conta com legendas em nossa lingua materna.

A parte gráfica e artística do jogo está nota 10. Todos os personagens e inimigos foram redesenhados com maestria, mantendo sua simplicidade e fidelidade aos modelos originais, melhorando-os com a transição para o modelo HD. Destaque também para os cenários, que estão coloridos e vívidos, e com certeza quem jogar parará por alguns segundos em fases como a Amazônia, só para ficar admirando a paisagem. O Tio Patinhas ficou muito bem em alta definição.

Para quê um pogobol quando se pode ter um cajado estiloso?

Como a grande maioria dos jogos que seguem o gênero plataforma, DuckTales Remastered é fácil de ser jogado. O analógico movimenta o protagonista, o botão A pula e o X durante o pulo faz com que o Tio Patinhas use seu cajado como o famigerado brinquedo “pogobol”, resultando em pulos mais altos e atacando quem estiver embaixo. Além destes comandos, é possível usar a combinação frente+B para dar uma cajadada em blocos, pedras e baús, mas não tentem usar nos inimigos!
Para quem não suporta a ideia de morrer logo ao ser tocado (como em Super Meat Boy), pode ficar tranquilo, DuckTales Remastered conta com uma barra de energia em forma de corações, que são carregados ao coletar guloseimas pelo caminho, e também ao encontrar com a Patilda.

Para finalizar esta seção, uma dica: explore todos os cantos que puder, pois em qualquer lugar podem haver diamantes e rubis escondidos.

Mas já acabou?

O único defeito dentre o mar de qualidades que permeiam este remake é sua duração, e o mesmo pode ser finalizado em menos de cinco horas. Este tempo pode ser estendido se gostar de terminar o jogo com 100% de aproveitamento, visto que, para desbloquear arte conceitual, personagens e músicas do jogo, é necessário comprá-los com o dinheiro obtido no jogo ao coletar diamantes e rubis.

Por fim, o Thomas Schulze, também da equipe GameBlast, disponilizou no Playstation Blast uma dica para liberar a trilha original do jogo na versão para o console da Sony. Para não deixar os fãs da nossa querida caixa na mão, a sequência para ouvir a trilha original do jogo (que deve ser ativada no menu Opções) é: direcional pra baixo, RB, direcional pra cima, LB, X e A durante a exibição do logo da Capcom. Macacos me mordam, é um Hadouken de nostalgia!

Prós

  • Gráficos magníficos;
  • Trilha sonora original do desenho;
  • Diálogos ótimos, que trazem o espírito do desenho para o jogo;
  • Extras do modelo de personagens, que não especificarei mais para não dar spoiler;

Contras

  • Curta duração;
  • Um bug que acontece perto do final do jogo é frustrante, embora não o impeça de terminá-lo.
DuckTales: Remastered - Xbox 360 - Nota: 9,5 
Revisão: Leonardo Nazareth
Capa: Daniel Silva
Filipe Salles é formado em Administração de Empresas pela UNIGRANRIO, joga videogame desde os quatro anos. Nerd assumido, adora falar sobre cultura geek e videogames, o que o levaram à redação do Xbox Blast e da PlayerTwo. Está no Facebook e Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook