Jogamos

Análise: Cobalt (XBO/X360) robôs insanos no meio da guerra

Nosso herói de nome, é um belo anti herói com humor afiado e estilo lobo solitário das ironias.

Atualmente, quando pensamos em um jogo de tiro é muito comum pensarmos em jogo de primeira pessoa. O gênero foi dominado por essa visão de câmera, ficando os jogos de terceira pessoa ou plataforma, como Gears of War (X360/XBO) e Contra (Nes), mais raros de saírem com uma certa frequência. O que dizer quando resolvem lançar um jogo de tiro em plataforma e com robôs? Cobalt responde para você.

Relatório contra o tédio


Se não vemos que nosso comando será com o simpático ciborgue modelo Metalface MK1, batizado de Cobalt, provavelmente a descrição do jogo nos remete a Metal Slug, que é um jogo com a mesma pegada e humor. Herói devido à natureza das suas missões, mas anti-herói no seu jeito de ser, Metalface sempre que pode solta algum comentário para cortar as conversas ou resolver na base do combate.

Nossa principal missão é encontrar vida humana no espaço após uma das naves  colonizadoras, The Seed, desaparecer ao retornar para a Terra. A bordo da sua nave e principal centro de controle, todas as nossas atividades serão realizadas com relatórios das missões para que a inteligência artificial que comanda a nave possa enviar os dados para a central. Mesmo ela admitindo que ele poderia apenas contar o que viu.


Equipando seu capacete, armadura e selecionando suas armas de granadas, Cobalt está pronto para o combate explorando alguns planetas para encontrar os terráqueos. Nossa busca deixará o personagem em diversas situações inusitadas e, bem, ele sabe como se virar… exceto quando piora a situação.

Exploração espacial e potencial

Ao iniciar nossa jornada, descobrimos que o que parecia ser uma simples busca, na verdade vai se tornar algo ainda maior. Ao avistar uma comum raça robótica, que sempre fora pacífica, Cobalt descobre que o humor deles mudou. Sobrevivendo ás boas vindas, um ser misterioso aparece e, caso você selecione as perguntas e respostas corretas, e não as que Cobalt adoraria dizer sem meios termos, descobrimos que a aparição de uma raça junto com alguns artefatos transformaram diversas raças e criaturas em verdadeiras máquinas de combate.
Cobalt reúne muitos elementos na sua criação, sendo o humor o ponto chave. Podemos personalizar as cores dele e dos animais que o fazem companhia em algumas fases, nascendo de granadas de ovos. Podendo ser de ambos os sexos, passando-se por humano ele tenta ficar entre os 15 e 95 anos, sem se importar com seu comportamento indo desde uma pessoa tranquila, a até, uma personalidade mais insana. Tudo isso reunindo no seu pequeno corpo, que ele aproveita bem a vantagem da baixa estatura..
Nosso herói também tem um pouco de salvação.
Toda essa exploração e sobrevivência cobra um bom desempenho controlando o ciborgue que é capaz de atirar freneticamente, utilizar armas corpo a corpo como espadas, arremessar granadas e soltar seu lado Neo para desviar e rebater as balas disparadas em sua direção. Aprender a rolar é uma das chaves da vitória na guerra. Ao realizar o movimento, se a cabeça de Cobalt bater na bala que vem ao seu encontro, ele devolve para o atirador. Nesses momentos é comum o jogo entrar no bullet time e não tem como ficar sério nesse momento épico de herói de guerra.

Relatório de campo

Todo treinamento do herói é muito divertido e com muitas, mas muitas opções mesmo, para aprender e praticar, sozinho ou com amigo. Todos os modos de jogos permitem até duas pessoas ao mesmo tempo localmente ou partir para o limite de jogadores na sala, chegando a quatro, dependendo do modo selecionado. O jogo se divide entre História, Arcade e online.
Em meios aos planetas do modo história, surgem alguns com minigames para destravar recompensas no jogo. No modo Arcade temos as mesmas opções do modo online, porém permitindo jogar contra outras pessoas localmente e até mesmo colocar bots para completar ou serem o desafiados do modo. Tudo personalizável a seu gosto antes de iniciar o jogo. Os modos disponíveis são: Challenge, Deathmatch, Team Strike, Plug Slam e Survival.

Challenge é uma ótima opção para testar sua adaptação aos comandos do jogo, que usam quase todos os botões do controle, com exceção do analógico direito, com o objetivo de destruir e/ou matar uma quantidade de inimigos no mapa.

Deathmatch nos leva ao clássico mapa de “cada um por si e meu tiro acerte em todos”. É um bom modo para a diversão com os amigos, além de poder testar algumas táticas de sobrevivência. Aqui você pode regular como será decidido o grande vencedor por total de mortes dentro do tempo estipulado ou quem realizar X mortes primeiro.

Team Strike pega toda a loucura do Deathmatch e agora transforma o caos em desafio de equipes, de até dois contra dois. Você pode selecionar o critério de vitória do time, além de também poder contar com bots, se for necessário.
Quando entramos em Plug Slam a magia de Cobalt ataca. Junte duas equipes em duplas, uma arena ao melhor estilo de gladiadores com uma pegada de campo de futebol, dois gols como objetivo e o alvo chave para pontuar no meio do caminho dos times. Essa loucura é um dos modos mais divertidos e o bullet time reina em meio às granadas arremessadas.

Finalizando as opções de jogo, Survival é o responsável para testar suas habilidades contra hordas de inimigos. Antes da partida começar, temos uma quantidade de energia (dinheiro do jogo) para gastar comprando nosso equipamento. Quando estiver pronto, os inimigos virão de todos os cantos para encurtar sua história.

Tiro, porrada e bomba


Todo jogo que vier ao mundo pela Mojang sempre terá uma enorme sombra chamada Minecraft para ser superado. Com a mesma proposta de jogo simples, porém que exige dedicação para jogar bem, o humor e carisma de Cobalt roubam a cena e trazem uma empreitada realmente nova e que foge das comparações, além da simplicidade como ideia principal.

O jogo abusa do visual retrô até o ponto da tela inicial e menus receberem tratamento visual como se fosse jogado em TV de cubo, além dos menus lembrarem antigos sistemas de computador. No jogo, a beleza dos cenários é muito bem criada, tornando alguns como se estivéssemos em um desenho animado.
No início a dificuldade pode te desanimar um pouco, mas, conforme dominar os controles e se acostumar com rolar o personagem no meio do tiroteio, você vai ficando mais confiante e vai chegar no momento Cobalt Rambo. Intimidadora e desafiante, mas muito recompensadora. No meio dessa aventura toda e diversão do Arcade, infelizmente não foi possível encontrar salas para disputas online.

Prós

  • Curva de aprendizado desafiadora;
  • Gráficos lindos;
  • Bullet time muito bem encaixados na proposta do jogo;
  • Humor na medida certa.

Contras

  • O desafio do aprendizado pode ser muito alto em algumas partes.
Cobalt — Xbox One, Xbox 360 e PC — Nota: 8,5
Plataforma utilizada na análise: Xbox One
Revisão: Vitor Tibério
Capa: João Leal 
Renan Pinheiro é amante dos games de luta, em especial briga de rua. Segue escrevendo de música a games, sempre em busca dos mais fortes artigos. Pode ser encontrado no HMBR, na Live ou Twitter!

Comentários

Google+
Disqus
Facebook