ID@Xbox e sua importância

O papel do programa de incentivo a jogos indies da Microsoft.

Recentemente o programa ID@Xbox (Independent Developers @ Xbox) celebrou a marca de mais de 500 jogos indies publicados. Contudo, nem todos conhecem as poderosas ferramentas de produção e divulgação que este programa oferece a desenvolvedores de jogos independentes, bem como o potencial que a plataforma representa para profissionais e entusiastas do cenário indie de games.

Auxílio da Microsoft

O programa ID@Xbox foi criado pela Microsoft em 2014 com o intuito de ajudar produtoras indies a publicarem seus jogos para as plataformas Xbox One e Windows 10. Atualmente, o programa conta com desenvolvedores de mais de 50 países e recebeu uma nova forma de game designers integrá-lo, com o futuro Xbox Live Creators Program, um novo segmento do programa que permitirá a qualquer usuário do Xbox publicar seu jogo na plataforma sem necessidade de aprovação ou passar por um processo de seleção da Microsoft, tornando o serviço mais rápido, intuitivo e acessível para jogadores e desenvolvedores.


Em 2016, o ID@Xbox realizou o primeiro ID@Xbox Game Fest, um festival de jogos independentes que durou todo o mês de maio, permitindo aos jogadores conhecerem diversos games lançados através do programa de incentivo da Microsoft. Alguns dos novos games indies que se destacaram foram: o jogo de tiro em primeira pessoa SUPERHOT (XBO/PC), da Pony Island; o novo game da Playdead, o jogo de plataforma 2D com resolução de puzzles Inside (XBO/PC); e o game 2D de aventura sobrenatural Oxenfree (XBO/PC), da Night School Studio.

Brasil no ID@Xbox

Não são apenas produtoras internacionais que lançam jogos indies de sucesso no programa de incentivo da Microsoft. O ID@Xbox conta com estúdios brasileiros em sua composição, com destaque para produções como Momodora: Reverie Under the Moonlight (Multi), da Bombservice, e Aritana e a Pena da Harpia (XBO/PC), da Duaik. Jogos bem avaliados e premiados internacionalmente.


Momodora: Reverie Under the Moonlight é o quarto título de Momodora, uma série de jogos de plataforma disponibilizada gratuitamente até Momodora II (PC), do Rdein, apelido para Guilherme Martins. O jogo 2D é uma fantasia ao estilo metroidvania e um dos integrantes brasileiros do ID@Xbox com maior sucesso entre os jogadores.

Premiado pelo próprio Phil Spencer durante a BGS Premiere 2015, o jogo de plataforma Aritana e a Pena da Harpia foi um dos primeiros games desenvolvidos por brasileiros no programa ID@Xbox. O sucesso do jogo o transformou em um exclusivo da Microsoft e o game figurou como um dos destaques da conferência latino-americana da Microsoft na E3 2015.


Futuro independente

O programa ID@Xbox tem muito a oferecer, tanto para os desenvolvedores quanto para os jogadores, e precisa ser melhor conhecido no Brasil. Com o futuro Xbox Live Creators Program, por exemplo, a facilidade para publicar jogos na plataforma da Microsoft é imensa, bem como a possibilidade de gerar visibilidade para um público maior e dentro de uma empresa reconhecida.

Para aqueles que se interessam em produzir seus próprios jogos e desejam ingressar no cenário indie de games, apostar na Microsoft como plataforma de divulgação é um passo importante para reconhecimento do seu trabalho.

Revisão: Vitor Tibério
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook