Discussão

A importância do Xbox original na retrocompatibilidade

O que significa a inclusão de jogos do Xbox original nos consoles mais recentes da Microsoft.

O recurso da retrocompatibilidade com jogos do Xbox 360 no Xbox One foi algo lançado em novembro de 2015. Em seu período inicial, a função apresentava apenas alguns poucos jogos do antigo console para a nova geração. Contudo, atualmente o catálogo conta com mais de 300 títulos retrocompatíveis com o Xbox One. O sucesso do programa fez a Microsoft apostar mais alto: retrocompatibilidade com o Xbox original.

Xbox: de laptop a console

Anunciado durante o Game Developers Conference de 2000, conferência voltada a profissionais da indústria de jogo eletrônicos, o Xbox original foi projetado por quatro engenheiros da equipe DirectX da Microsoft: Kevin Bachus, Seamus Blackley, Ted Hase e Otto Berkes. O quarteto de profissionais desmontou vários laptops da Dell e montaram o primeiro protótipo do que seria o Xbox.

Antes da ideia da criação de um console próprio, a Microsoft já havia investido no ramo de videogames ao fazer uma parceria com a Sega para utilização do sistema operacional Windows CE no Dreamcast. O Xbox foi revelado oficialmente ao público pelo próprio Bill Gates, fundador da Microsoft, e com a participação especial do ator e lutador estadunidense Dwayne Johnson durante a exposição comercial CES (Consumer Electronics Show) de 2001.


O jogo de lançamento do console foi Halo: Combat Evolved (Multi), da Bungie, primeiro título da saga de ficção científica de tiro em primeira pessoa da franquia, o principal exclusivo da Microsoft até os dias de hoje. No mesmo momento, o jogo de luta Dead or Alive 3 (XB), da Team Ninja, também figurou entre os principais lançamentos do então primeiro console da Microsoft.

Xbox, Xbox 360 e Xbox One lado a lado

A expansão do recurso da retrocompatibilidade para jogos do Xbox original em tão pouco tempo — menos de dois anos desde o início da retrocompatibilidade com o Xbox 360 — revela a preocupação da Microsoft em manter o legado da sua marca de console de jogos eletrônicos. Ao mesmo tempo, demonstra que a empresa está atenta à boa repercussão e à resposta positiva dos fãs aos jogos retrocompatíveis da sua segunda geração de consoles.


Ao trazer de volta os jogos do Xbox original, a multinacional conquista a simpatia dos fãs mais antigos e exibe uma novidade para os novos fãs do console, agradando a ambas as gerações de jogadores ao disponibilizar games de última geração e os games pioneiros do console. O novo serviço mescla diversão com a história do próprio Xbox.

Revisão: Vitor Tibério
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook