Seleção 2019: novas vagas na equipe do GameBlast! Redação, revisão, design, e social media. Saiba mais e participe!
Perfil

Marcus Fenix: herói, rebelde e pai

O protagonista traz consigo a identidade de toda a série desde o início até o seu último lançamento.



Gears of War é uma das maiores franquias de sucesso da Microsoft. Seu sucesso pode ser confirmado nas vendas que, até os últimos dados revelados, alcançou a impressionante marca de mais de um bilhão de dólares


O jogo, lançado originalmente em novembro de 2006, traz uma mecânica de tiro em terceira pessoa com uma história que trata do conflito entre humanos e uma raça alienígena pelo controle de um planeta (Sera) colonizado pelos homens e que deve se tornar o novo lar após o fim da Terra.

Em termos de enredo, Gears of War pouco inova. Um conflito inicial pelo controle dos recursos naturais do novo planeta habitado que põe em xeque a sobrevivência da humanidade. Nada de novo até então. O grande atrativo na franquia é, sem dúvida, o seu protagonista, Marcus Fênix, soldado que conquistou o posto de liderança após a Guerra do Pêndulo e figura central dos principais acontecimentos da série.

O começo: as Guerras do Pêndulo

Em Gears (e, com certeza, em um interessante reflexo da realidade), a humanidade parece não aprender com seus erros. Apesar de Sera ser habitado porque nós havíamos destruído a Terra devido aos conflitos intermináveis, as coisas não mudaram. As guerras permaneceram em Sera e isso fez com que algumas criaturas que viviam no subsolo voltassem (falaremos disso mais a frente).





As Guerras do Pêndulo são o resultado de um atrito entre países ricos e que tinham o domínio do Imulsion (pode-se dizer que este é o “petróleo” de Sera) e os mais pobres afetados pela crise econômica causada pelo principal recurso natural do novo planeta. De um lado, portanto, temos a COG (em inglês, Coalition of Ordered Governments), uma aliança entre os países mais poderosos; e do outro, a UIR (em inglês, Union of Independent Republic), a união dos países mais pobres. O resultado da guerra era óbvio: os mais poderosos, com mais poderio militar, venceram a guerra. E tudo graças a uma tecnologia  chamada Hammer of Dawn (um poderoso raio disparado via satélite). Apesar de ter sido criada pela UIR, a tecnologia foi roubada e aperfeiçoada por Adam Fenix, cientista da COG e pai de Marcus Fenix.

A população teve pouco tempo para se recuperar do conflito, pois um ataque das criaturas subterrâneas, os chamados locusts, foi realizado no que ficou conhecido como Dia de Emergência. Especula-se que mais de 90% da população morreu nas primeiras 24 horas e todos os sobreviventes foram levados para Jacinto, considerado um dos poucos lugares seguros em Sera.

Marcus Fenix se destacou durante a Guerra do Pendulo e no Dia de Emergência, abandonou seu posto em busca de seu pai. Marcus nunca achou seu pai, sua única família e, além disso, foi condenado a ficar 40 anos na prisão por deserção militar e ficou preso por bem menos que isso, já que a prisão estava abandonada (graças aos sucessivos conflitos dos humanos). Ele foi resgatado por seu amigo, Dominic Santiago, para começar uma nova guerra contra os Locusts.

Herói, rebelde e pai

Marcus Fenix foi o grande responsável pela vitória da COG sob os exércitos da URI, mas seus atos em busca de seu pai acabaram o condenando. Entretanto, a habilidade de Marcus sempre foi notória em diversas batalhas durante as diversas Guerras do Pêndulo.





Ele roubou os planos do Hammer of Dawn e teve vários outros feitos gloriosos na Batalha de Aspho Fields. Foi durante um dos conflitos das sucessivas guerras que Marcus Fenix conheceu Anya Stroud, oficial da COG e mãe de seu filho, JD Fenix.

Ambos se separaram após a condenação de Marcus Fenix, mas ela acabou ajudando o herói diversas vezes na linha de frente das batalhas, testemunhando a morte de diversos companheiros de Marcus Fenix.

JD Fenix é o filho de Marcus com Anya que fez parte de um colégio interno de uma das cidades-Estado do governo da Coalização e, portanto, ficou muito tempo sem entrar em contato com o seu pai visto que, após os conflitos com os locusts e a rainha Myrrah, Marcus havia se aposentado de seu ofício.





Os acontecimentos narrados acima sugerem um pouco do quão complexo é o protagonista Marcus Fenix. Um herói militar no estilo tradicional não é suficiente para defini-lo. Ele rompe a barreira do “soldado obediente e disciplinado” para fazer o que seus instintos (ou seriam suas emoções?) mandam. Foi graças ao seu ‘feeling’ que Marcus abandonou seu posto para tentar salvar seu pai e o cansaço do conflito sem fim fez com que ele se juntasse ao seu filho contra a própria COG.

Carisma e protagonismo

O que seria de Gears of War sem Marcus Fenix? Se você já jogou, vai perceber que muitos personagens ficaram pelo caminho, enquanto vários outros surgiram. Entretanto, nenhum deles atingiu até então o carisma do nosso protagonista.

Um caso marcante foi a reaparição de Marcus Fenix, já envelhecido, em Gears of Wars 4, na conferência da E3 que culminou no lançamento do novo game naquele ano. O público foi ao delírio e, se a ideia dos produtores era que JD Fenix se tornasse o sucessor de Marcus, parece que as coisas não ocorreram bem da forma como foi planejado.

O que se sabe é que o personagem passou por conflitos terríveis e situações exaustivas. Foi herói, rebelde e pai. Marcus merece o seu merecido descanso, mas não sabemos se ele será agora, em Gears 5, ou num futuro próximo. Enquanto isso não acontece, vamos aproveitando o que ainda resta do velho e bom Marcus Fenix.
Rafael C. Oliveira é goiano e já foi astro do rock (no Guitar Hero), líder de uma grande civilização (no Age of Empires) e bem casado (no The Sims). Ele diz que está escrevendo um livro de ficção científica numa tentativa de fazer novos amigos assim. Você pode tentar convencê-lo de desistir dessa ideia absurda no Twitter ou Facebook dele.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook