Microsoft na E3 2015: expectativas para a conferência

Com muitos títulos certos e diversas especulações possíveis, conferência da gigante de tecnologia é uma das mais esperadas em 2015.



É possível dizer que desde o conturbado anúncio do Xbox One, em 2013, nunca houve uma conferência da Microsoft tão aguardada como essa. Também pudera. O console lidera as últimas vendas mensais na América após uma disparada inicial do seu concorrente, o PS4, que soube se vender melhor no período do lançamento. Sim, os anúncios de 2013 ainda geram desinformação naqueles que não acompanharam as notícias, mas o cenário está sendo revertido lentamente graças à excelente gestão de Phil Spencer, que vem para sua segunda E3.


Em 2014, a promessa foi de uma feira apenas com jogos, e foi cumprida. Muito do que foi mostrado naquela conferência ainda está para lançar. As franquias da Microsoft são poderosas, e é desnecessário dizer algo sobre a capacidade financeira da empresa de investir nelas. Sendo assim, ver Halo, Forza, Gears of War, Crackdown, Fable, Banjo-Kazooie e a série Kinect ou até clássicos como Black & White e Age of Empires podem ser alternativas para este ano.

O que já sabemos da Microsoft?

Sabemos de uma promessa: ela quer fazer a maior feira da E3 de sua história. Considerando a quantidade de jogos que tem para lançar e dado que aprendeu que o desejo do público é por jogos, é bem possível que faça. Suas melhores conferências, conforme você pode ler na nossa retrospectiva da E3, tiveram este modelo como padrão.

Há muita coisa conhecida que foi apresentada na E3 2014. Após sofrer adiamento ano passado, Halo 5: Guardians já tem data de lançamento, dia 27 de outubro. A principal franquia da Microsoft provavelmente dará as caras na conferência com um gameplay. Pode ser o momento para apresentar possíveis melhorias no potencial do console com o DirectX 12. Halo ainda pode possuir novidades na coletânea lançada ano passado, a The Master Chief Collection, embora nada seja oficial. Recentemente, Halo 3: ODST foi liberado para o público.

Outros jogos certos que são IP da Microsoft Studios, apresentados na E3 do ano passado, são Fable Legends, Crackdown e Quantum Break. Os três títulos devem apresentar mais informações sobre datas oficiais de lançamento, bem como possíveis gameplays. O último, cujo lançamento foi adiado para 2016, pode fazer uma aparição mais breve. Ainda há uma remota possibilidade de que novas informações sobre o remake de Phantom Dust surjam. Embora cancelada recentemente, a produção pode passar para as mãos de outro estúdio.

Forza Motorsport 6, segundo jogo da franquia de simulação de corridas pela mão da Turn 10 Studios e terceiro da série Forza para Xbox One (que ainda possui o Horizon 2), é outro título certo da Microsoft Studios. Conforme manda a tradição, veremos carros maravilhosos no palco e uma data de lançamento. Sendo Forza Motorsport 5 um dos jogos que melhor explorou a capacidade gráfica do console, ficamos na expectativa de que mais avanços sejam feitos no novo título da série.
Até agora citei apenas os títulos certos da Microsoft Studios. Rise of the Tomb Raider, que possui exclusividade temporária para o Xbox One, já é certo na conferência, conforme anúncio realizado no começo desta semana. O novo título de Hideki Kamiya e da Platinum Games, Scalebound, é outro dos jogos que foi anunciado ano passado e deve aparecer novamente este ano, também com data de lançamento. Como de hábito, os best-sellers do console devem aparecer. O já anunciado Call of Duty: Black Ops 3 (Multi) é carta provável na apresentação do dia 15/06.


Ainda há os jogos de menor orçamento. Os exclusivos temporários Inside [produzido pela Playdead, criadora de Limbo (Multi)] e Below [da Capybara Games, criadora do surpreendente Super Time Force (Multi)], bem como Cuphead (XBO/PC), que chamou bastante atenção na E3 2014, podem aparecer, assim como outros projetos da Press Play, criadora de Max: the Curse of Brotherhood (Multi), e outros ainda não conhecidos pelo público.

Por fim, é possível que o HoloLens, nova aposta da Microsoft para experiências com realidade aumentada, dê as caras na conferência.

Rumores e especulações

Gears of War: Ultimate Edition. Não dá pra começar com outro senão este. O que todo mundo já sabe é que a Black Tusk (renoemada recentemente para The Coalition) está desenvolvendo um jogo novo e que a Microsoft adquiriu a IP de Gears of War da Epic Games e colocou à mão do estúdio. Também sabemos que a classificação indicativa brasileira vazou o lançamento do jogo. Além disso, houve gameplays vazados mês passado. Bem, só falta um desenho mesmo. O subtítulo só está adiantado por um parágrafo porque eu me protejo com o meu ceticismo.

Fiz o desenho só por via das dúvidas
É bem possível que algum tempo seja dedicado aos serviços oferecidos no Xbox One e tentativas de sobrevida para jogos já lançados. Sendo assim, poderemos ter novidades para o EA Access, novos pacotes de carros e DLCs para Forza Horizon 2, uma terceira temporada de Killer Instinct e novos pacotes de desenvolvimento disponíveis para compra em Project Spark, aproveitando-se de IPs da Microsoft e, em particular, da Rare.

A Rare inclusive é sempre uma especulação que vale fazer. Já fiz um texto falando de como a marca e suas criações podem ser exploradas, e lá exploro mais a fundo o que pode acontecer. Mas em um resumo gradativo do realismo ao sonho, podemos ter um novo jogo para Kinect, especialidade recente da empresa cuja quase toda equipe já a abandonou, um novo Banjo-Kazooie, aproveitando-se do sucesso que foi o Kickstarter de Yooka-Laylee e um Battletoads desenvolvido pela Yatch Club Games, desenvolvedora de Shovel Knight (que, permitam-me ser o hater costumeiro, em uma fase fez melhor que tudo que foi feito com Battletoads e certamente produziria o melhor jogo da história da franquia).

Como se sabe, a Mojang foi adquirida pela Microsoft recentemente em uma transação bilionária. Sendo assim, é possível que algumas features e pacotes de Minecraft sejam anunciados exclusivamente para Xbox One. Ainda é possível buscar formas de melhorar a interface do jogo com o Kinect, como foi feito anteriormente, no lançamento do jogo para o Xbox 360. Ainda falando de Minecraft, é possível que informações sobre a produção em parceria com a Telltale tenha novidades no evento.
Outra situação bem possível é a de compra de exclusividades temporárias ou até mesmo definitivas, auxiliando financeiramente na produção de novos jogos. Nenhuma das opções seria uma novidade para a empresa: ela já fez o mesmo com Gears of War e está fazendo com Rise of The Tomb Raider e Scalebound. As empresas japonesas, que neste momento enfrentam dificuldades financeiras, estão buscando esse tipo de negócio para garantir lançamentos.

A Capcom, em especial, tem aplicado bastante esta prática. Vive fazendo remasterizações e remakes de seus jogos (todos com uma excelente qualidade, faça-se justiça) e só tem mantido Monster Hunter e Ace Attorney com regularidade. Dead Rising 3 só foi possível graças à Microsoft e Street Fighter V foi bancado pela Sony. Portanto, não se assuste se um Devil May Cry ou um Onimusha exclusivos aparecerem por aí (não, um Mega Man não vai acontecer, parem de sonhar!).

Estando os rumores e palpites certos ou não, é evidente que a Microsoft e o Xbox One têm bastante material para fazer uma grande conferência e trazer ótimos produtos para seus fãs. Concorda? Deixe suas expectativas nos comentários!

Revisão: Vitor Tibério
Capa:Diego Migueis
Roberto Rezende é engenheiro de computação e brinca de game designer nos tempos vagos. Acha que Mega Man X4 é o melhor jogo já feito e acha Battletoads o jogo mais superestimado da história. No pouco tempo que sobra, faz reflexões no Juiz Cachorro. Está no Facebook, mas fala muito mesmo no Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook