Vem aí

Prévia: Super Lucky's Tale (XBO/PC) é fofura e aventura em plataforma 3D

Continuação de Lucky's Tale é um dos exclusivos mais esperados da Microsoft.

Sequência do jogo de realidade virtual Lucky's Tale, a aventura colorida da pequena raposa Lucky roubou a cena durante seu anúncio na E3 2017. O game de plataforma 3D Super Lucky's Tale (XBO/PC), da desenvolvedora indie Playful, é um dos exclusivos para Xbox One e Windows 10 deste ano e promete muita diversão ao estilo dos sucessos da Nintendo.

Inspiração em Super Mario 64 e Sonic

Antes de se tornar um exclusivo da Microsoft, a história da raposinha Lucky foi exclusiva para Oculus Rift. Seu título anterior, Lucky's Tale, lançado em 2016, é fortemente influenciado pelo jogo de plataforma 3D Super Mario 64 (N64), da Nintendo. O jogo se diferenciou entre os títulos do Oculus Rift pela sua jogabilidade com visão aérea, oposto ao popular gameplay em primeira pessoa em games de realidade virtual.


Com um visual cartunesco, repleto de cores e criaturas adoráveis, Lucky's Tale conquistou os jogadores por suas semelhanças com o título clássico da Nintendo. Contudo, toda essa proximidade com as aventuras do encanador italiano não é coincidência, no início de sua produção em 2014, a equipe de Lucky's Tale importou uma fase de Super Mario 64 para testes na versão VR. O jogo foi referência para o que a produtora desejava fazer em Lucky's Tale.

Toda a interatividade com cenários, itens e personagens conseguida no mundo aberto de Lucky's Tale levou o designer Dan Hurd a comparar as aventuras de Lucky com as histórias em quadrinhos clássicas de Calvin e Haroldo (Bill Watterson, 1985). A arte conceitual do protagonista Lucky também sofreu modificações. Inicialmente um passarinho estava entre as escolhas, porém com o polimento do jogo, a arte de Lucky passou a ser uma raposa inspirada no visual do ouriço Sonic e seu melhor amigo, a raposa Tails, personagens da franquia de jogos de plataforma da Sega.


Fase Crash Bandicoot e Banjo-Kazooie

Com bases de jogabilidade e estética que remontam sucessos clássicos da Nintendo e Sega, a sequência Super Lucky's Tale amplia a experiência destes jogos de plataforma para uma concepção que também engloba características tridimensionais de aclamados títulos da Naughty Dog e Rare.

Super Lucky's Tale contará a história da raposinha otimista e adorável Lucky enquanto ele tenta encontrar sua força interior e ajudar sua irmã a recuperar o Book of Ages do vilão Jinx, um misterioso malfeitor que deseja reordenar a forma do mundo.


Mesclando jogabilidade em mundo aberto com fases mais lineares, Super Lucky's Tale traz uma herança bem aproveitada da franquia de plataforma Crash Bandicoot, exclusivo do PlayStation entre 1996 e 2000 e que ganhou recentemente a versão remasterizada Crash Bandicoot N. Sane Trilogy (PS4), da Vicarious Visions. Assim como o marsupial da Naughty Dog, Lucky atravessa fases tridimensionais lineares em determinadas ocasiões para coletar itens e resolver puzzles pelo caminho.

Constituído de grandes fases repletas de segredos, desafios, puzzles, variedade de colecionáveis e batalhas contra chefes, Super Lucky's Tale também rememora a franquia de plataforma Banjo-Kazooie. As aventuras do urso Banjo foi um sucesso nos anos 2000, para as plataformas da Nintendo e Xbox, ganhando um relançamento em 2015 na compilação Rare Replay (XBO).


Uma nova cara para o Xbox

Super Lucky's Tale se diferencia dos demais exclusivos do console da multinacional de Bill Gates por ser o primeiro exclusivo da nova geração a trazer um visual, enredo e jogabilidade que remonta os sucessos da Nintendo, Sega, Naughty Dog e Rare. É o contrário do tom maduro de grandes títulos da Microsoft, como Halo e Gears of War.

A história da raposa fofa e adorável Lucky tem tudo para se tornar uma das grandes IPs do Xbox. A Playful soube pegar o que há de melhor dos maiores clássicos do gênero, bem como dar seu próprio toque no jogo de plataforma tridimensional. Após o sucesso estrondoso do indie Cuphead (XBO/PC), da StudioMDHR, Super Lucky's Tale parece ter o mesmo destino.


A Microsoft tem investido pesado no mercado de jogos independentes, programas como o ID@Xbox e Xbox Live Creators Program têm revelado inúmeros sucessos e a empresa tem sido inteligente em abrir as portas e divulgar o trabalho de estúdios e game designers que escolheram a Microsoft como casa para seus jogos. Super Lucky's Tale é mais uma prova do valor de acreditar nos indies.

Super Lucky's Tale — XBO/PC
Desenvolvedor: Playful
Gênero: Plataforma 3D
Lançamento: 07 de novembro de 2017
Expectativa: 5/5

Revisão: Luigi Santana
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook