Blast from the Past

Blast Replay: Killer Instinct Gold (1996)

Versão adiciona extras em sua conversão para manter o instinto assino do Nintendo 64 no seu Xbox One.

A Rare criou jogos em diversos estilo e, entre eles, lançou um título muito bem refinado e trabalho para Super Nintendo com o port de Killer Instinct (Arcade). O jogo mistura a jogabilidade de Street Fighter e a violência de Mortal Kombat com um sistema próprio de lutar ao seu estilo. O sucesso do game rendeu a continuação Killer Instinct 2. Assim como seu antecessor, ele foi lançado para consoles, chegando ao Nintendo 64 como Killer Instinc Gold.

O instinto da série

A série Killer Instinct gira em torno da empresa Ultratech, que possui ligação com todos os personagens da série, de modo que eles acabam reunidos no torneio da empresa com suas motivações para serem o campeão, enquanto que a mesma apenas quer testar suas tecnologias como a linha Fulgore, um robô de última geração criado para o combate.
O elenco de KI segue o diferencial de abusar da diversidade, confira: Jago (ninja e “Ryu” da série), TJ Combo (boxeador), Riptor (velociraptor ciborgue), Thunder (índio), Black Orchid (espiã), Cinder (criminoso que vira cobaia da Ultratech e se transforma emum homem de fogo), Eyedol (entidade mística da guerra), Fulgore (ciborgue), Glacius (alienígena), Sabblewolf (licantropo), Spinal (esqueleto), Gargos (dêmonio), Kim Wu (ninja), Maya (amazona), Tusk (bárbaro).

Na versão atual do título, lançado em 2013 junto ao Xbox One, foram introduzidos mais alguns personagens, mantendo o diferencial com Aganos (golem), ARIA (inteligência artificial), Hisako (fantasma), Kan-Ra (múmia), Omen (demônio alado), Sadira (assassina) e Rash, personagem convidado e protagonista de Battletoads.

Do arcade para sua casa

Quando nos referimos aos jogos de um console, é comum vermos as expressões First Party e Third Party, referindo a um jogo exclusivo criado pela empresa do console e desenvolvido por outras empresas para vários consoles, respectivamente. A Rare era chamada de Second Party da Nintendo, por seus jogos ficarem praticamente exclusivos aos consoles Big N na década de 1990.


A série Killer Instinct seguiu esse caminho e, com o port do segundo jogo, algumas mudanças foram realizadas na versão Gold. Os cenários passaram a ser pré-renderizados para dar a sensação de 3D ao jogo, enquanto que a luta acontece em 2D. Também há uma nova barra para aumentar os danos dos golpes e novos modos de jogo, com direito a um dojo para conhecer melhor os golpes dos personagens. Dentre outros, existe uma nova câmera com zoom abrindo e fechando de acordo com a distância dos personagens, para manter o melhor desempenho possível e ainda ostentar a marca de 60 quadros por segundos.

Apesar de todo o esforço para realizar a melhor conversão possível, o jogo foi recepcionado pela mídia especializada da época  divergindo entre os elogios e críticas, mas todas reforçando o título como uma das melhores opções do gênero para o console, que na época recebeu muitos jogos de luta com qualidade duvidosa.

Combo breaker

Na jogabilidade, a série continuou com sua violência característica e, apesar da adição da barra para reforçar os golpes e assim tentar tornar os combates mais dinâmicos, Killer Instinc Gold não mexeu na raiz da série, mantendo sua escala personalizada de combo, Combo Breaker, Ultra Combo e finalizações interagindo com os cenários.


Com todos os elementos mantidos, o jogo passou a exigir mais do jogador para acertar suas sequências, além de colocar Ultra Combos cada vez mais extensos, como Jago fazendo em torno de 50 hits quando finaliza a batalha com seu Ultra. Quando a sequência é desferida, dependendo do cenário, o adversário será derrubado contando como uma finalização.
Exigindo mais dos jogadores, o modo Trial adicionado na versão Gold foi uma das melhores adições para atingir os fãs do gênero e testar o quão bom você estava com determinado personagem, para poder fazer bonito no modo Versus contra os amigos e nos torneios de locadoras.

Ultraaa Combo

Killer Instinct Gold recebeu uma pequena, porém significativa, refinada dentro da coletânea Rare Replay. Os cenários e, principalmente, os personagens ficaram mais definidos, mesmo que pouca coisa, sendo o suficiente para notarmos a diferença. O jogo recebeu o mesmo tratamento que vimos em versões como Marvel Origins e Third Strike Online Edition, com borda estilizadas e desafios simultâneos enquanto joga, por exemplo.

Se você é fã da série ou sempre teve vontade de conhecê-la, o Xbox One é a sua porta de entrada para o universo Killer Instinct. Quando foi lançada a versão de 2013, o console recebeu o primeiro jogo como bônus e agora, com a coletânea, todos os jogos estão a sua disposição e a próxima leva de personagens da atual versão promete retornar alguns famosos da série Gold, como o bárbaro Tusk. Um Ultra Combo certeiro para você, jogador.



Revisão: Jaime Ninice
Capa: Felipe Araújo
Renan Pinheiro é amante dos games de luta, em especial briga de rua. Segue escrevendo de música a games, sempre em busca dos mais fortes artigos. Pode ser encontrado no HMBR, na Live ou Twitter!

Comentários

Google+
Disqus
Facebook