Vem aí

Prévia: Forza Horizon 4 (XBO/PC) terá alta velocidade entre quatro estações

Série arcade de Forza aposta em desafios da força da natureza.

A franquia de corrida Forza é responsável por alguns dos maiores exclusivos do console da Microsoft, cuja popularidade originou a série arcade intitulada Forza Horizon em 2012. Diferentemente da linha de jogos Motorsport, voltada para simulação de corrida, o selo Horizon traz corridas divertidas em cenários urbanos e interioranos de mundo aberto. Para 2018, o jogo Forza Horizon 4 (XBO/PC), da Playground Games, agrega a mecânica inédita de mudança de estações do ano.

Festival de corrida de rua à moda inglesa

A premissa da série Horizon gira em torno do Festival Horizon, um evento de corrida de rua realizado em diversos países do mundo. Enquanto os títulos anteriores passaram por EUA, França, Itália e Austrália, Forza Horizon 4 acontece no Reino Unido.

Anunciado durante a E3 2018, o novo game também será integrante da iniciativa Xbox One X Enhanced, que consiste em jogos otimizados para usufruir o máximo da potência do console da Microsoft.


Apesar de ser produzido em conjunto com a desenvolvedora estadunidense Turn 10 Studios, responsável pela série principal de Forza, o estúdio britânico Playground Games comanda os títulos spin-off em mundo aberto de Forza Horizon. E para o quarto jogo da linha arcade, a produtora aperfeiçoou seus gráficos realistas, incorporou uma lista de mais de 450 carros e deu continuidade a um gameplay leve e fácil de aprender.

Unindo Motorsport e Horizon

Inspirado nas novidades trazidas pelo simulador de corrida Forza Motorsport 7 (XBO/PC), da Turn 10 Studios, o arcade Forza Horizon 4 tem como um de seus principais atributos a mudanças das estações do ano, acréscimo baseado no tempo dinâmico do sétimo título de Motorsport; e a customização de piloto, reflexo da personalização dos uniformes recém-chegada em Forza Motorsport 7.


O diretor criativo de Forza Horizon 4, Ralph Fulton esclarece que o clima dinâmico do jogo será compartilhado por todos os jogadores e as estações dos anos irão mudar semanalmente em todos os mapas, cuja extensão é próxima da vista em Forza Horizon 3 (XBO/PC).

A transição entre Outono, Inverno, Primavera e Verão trará características próprias de cada período climático para o espaço das corridas, onde tais atributos irão oferecer diferentes desafios e recompensas para os jogadores. Por exemplo, na Primavera haverá dificuldades específicas, como poças de água; e no Inverno haverá lagos congelados e pistas deslizantes. Assim, cada estação do ano terá suas próprias peculiaridades e proporcionarão um gameplay diversificado e em constante mudança.


A rota para o sucesso

Além do foco na mecânica de Quatro Estações, Forza Horizon 4 contará com outras mecânicas que fazem estreia na série. Recurso muito pedido pelos jogadores desde o precursor Forza Horizon (X360), a franquia trará um sistema de compra, venda e gerenciamentos de propriedades.

Falando sobre o tema, Ralph Fulton explica que o jogador poderá usar créditos do próprio jogo para adquirir casas, castelos e até mesmo negócios em Forza Horizon 4. O sistema recompensará o jogador com novos itens e missões de história.

Outro debute na série é o recurso Route Creator, no qual os jogadores poderão criar suas próprias rotas de corrida dentro do mapa de Forza Horizon 4 e compartilhá-las com outros gamers. O sistema possibilitará a criação de corridas personalizadas pelos próprios fãs da franquia.


A caminhada lado a lado da série Motorsport e Horizon tem gerado jogos belos, dinâmicos, customizáveis e que compartilham de uma identidade visual e mecânica muito próxima ao mesmo tempo em que preservam seus traços únicos. Para Forza Horizon 4, a aposta no sistema de Quatro Estações e os novos recursos de personalização prometem um título que inova, mas sem perder sua essência.

Forza Horizon 4 — PC/XBO
Desenvolvedor: Playground Games
Gênero: Corrida
Lançamento: 2 de outubro de 2018
Expectativa: 4/5

Revisão: Júlio César
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook